A Paraíba o tempo todo  |

Opinião: A pergunta que não quer calar!

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

Por que ele não para de falar? O livro da sabedoria (Bíblia Sagrada) nos diz em Tiago 1.19: “Sejam prontos para ouvir, tardios para falar…” Eclesiastes 3.7: “Há tempo de calar, tempo de falar…” Romanos 10.14c: “E como ouvirão, se não há quem fale?” Na verdade, temos um homem sentado na cadeira Presidencial Brasileira que é diferente de todos os que o antecederam. A imprensa brasileira e mundial anda um pouco zonza da cabeça com tanta espontaneidade, clareza e lisura de palavras com que ele se apresenta dando respostas às suas perguntas. Na verdade, ele é o que todo político deveria ser e o que todo povo espera de um homem público: transparente nas exposições, assim como é um bom pai em relação ao filho no dia a dia.

A maioria dos políticos está com as mãos na cabeça tentando entender de que buraco saiu esse homem. Na verdade, ele é diferente. O bate papo todos os dias na saída do Palácio da Alvorada parece ser coisa de criança. Infantil, é quem pensa assim. Ele está falando no quintal da casa para os seus, porém, a equipagem de som está posta sobre a viga mais alta desde o teto externo da casa, levando sua voz e mensagem para todo o país. Tanto é assim que logo ao terminar seu tempo no cercado, os principais jornais, blogs e portais nacionais e internacionais, incendeiam-se com a conversinha dele, de pé de orelha. Não o classifico como um mito, porém, como um fenômeno, disso não tenho dúvida.

Ele faz coisas inesperadas: visita um boteco, entra num casebre com piso de barro numa das favelas de Brasília e em outras capitais, sem reverência, abre geladeiras nas casas em que entra, come com o povo na rua o famoso espetinho de gato. Leva alguém comum e corrente que encontra em suas andanças populares para estar numa de suas lives imperdíveis de quintas-feiras a noite e a põe a fazer versos de improviso com uma viola nas mãos.

Quando os prefeitos e demais políticos esperavam que a ajuda de bilhões de reais, referente a ajuda emergencial, caísse nas mãos deles para depois ser depositada nas mãos do povo, ele fez chegar de uma maneira rápida e eficaz essa dinheirama, diretamente ao bolso da população pobre e necessitada, por essa atitude os políticos não esperavam. As vacinas que os políticos de cada estado esperavam receber os lotes nas mãos e irem de cidade em cidade distribuindo-as como instrumento de futuros dividendos políticos, caiu direto em um setor único, daí foi distribuída de um modo correto, rápido e eficaz a toda população brasileira sem distinção, sendo aplicada no braço do povo sob supervisão federal.

Obras inacabadas por governantes irresponsáveis que o antecederam foram retomadas com ímpeto e valentia e estão de vento em popa sendo terminadas nos quatro cantos da nação. Os 10% de beliscada, que é entregue de um modo perverso e sem explicação aos políticos no início de cada obra, já não é aplicado no reinício das mesmas, por isso que muitos prefeitos, governadores, legisladores e novos presidentes, não têm interesse em dar prosseguimento em obras inacabadas.

Porém, Bolsonaro não se enfoca nessas malvadezas e injustiças que levam à malversação de fundos públicos, atrasando o desenvolvimento do país e levando o povo a ser desassistido por falta de escolas, hospitais, pontes, estradas etc. (aquele que é político, raposa velha, me entende bem nesse item em particular). Sem fazer distinção de estado da Federação ou de quem o governe, ele tem reiniciado obras e começado outras como nenhum outro Presidente de nossa história, tudo isso em apenas dois anos e meio de governo. Somos o quarto país no mundo que mais vacinou o seu povo contra o vírus e ainda não somos fabricantes dessa vacina em particular. Há um ódio generalizado sobre a administração desse homem e sua equipe, pois, resolveu fazer a coisa correta, começando pelas origens.

Dizem que o mesmo é banhado constantemente por orações, tanto de católicos como de evangélicos. Não sei você, porém, eu estou disposto a votar nele mais uma vez no próximo ano e estou arrumando minhas malas para sair a favor da democracia e de melhores dias para o meu país no dia 7 de setembro. Ele fala, porém, faz!

Elcio Nunes
Cidadão Brasileiro

CONTEÚDO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      1
      Compartilhe