O presidente da comissão especial da reforma da Previdência, deputado Marcelo Ramos (PL-AM), comentou, nesta segunda-feira (3), a uma rádio Gaúcha a real possibilidade de derrota do governo Bolsonaro com a reforma.

O presidente da comissão especial da reforma previdenciária, Marcelo Ramos, acabou de dizer na rádio Gaúcha:

 

“Para aprovar a reforma do jeito que está, o governo não tem voto nem na comissão”, disse Marcelo Ramos. Sobre a possibilidade de excluir os professores da proposta em tramitação no Congresso. Segundo ele, a ideia é "manter as atuais regras" para a categoria.

 

O puxão de orelhas da Câmara em Paulo Guedes: "O Brasil não trabalha para ele. É ele quem trabalha para o Brasil" O puxão de orelhas da Câmara em Paulo Guedes: "O Brasil não trabalha para ele. É ele quem trabalha para o Brasil"

 

“Estou incluindo professores (nos pontos que podem mudar na proposta) porque dois partidos se manifestaram sobre isso, o MDB e o PL. Somando os dois, são 61 deputados federais. E o governo não terá 61 votos de folga. Se esses dois partidos não votarem com o governo, não vai passar (a proposta na Câmara)”, disse Ramos, em entrevista ao Gaúcha Atualidade.

 

Redação

 


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Veneziano entrega carta-renúncia do cargo de secretário-geral do PSB

O senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB) entrega até esta terça-feira (17), à Justiça Eleitoral, o pedido de renúncia para o cargo secretário-geral do PSB, função que foi lhe atribuída…

Especialista contradiz Cartaxo sobre funcionalidade da drenagem da Barreira

Apesar do prefeito de João Pessoa Luciano Cartaxo (PV) ter recentemente visitado os trabalhos de drenagem na barreira do Cabo Branco, que estão sendo realizados pela prefeitura, com recursos próprios…