O presidente da comissão especial da reforma da Previdência, deputado Marcelo Ramos (PL-AM), comentou, nesta segunda-feira (3), a uma rádio Gaúcha a real possibilidade de derrota do governo Bolsonaro com a reforma.

O presidente da comissão especial da reforma previdenciária, Marcelo Ramos, acabou de dizer na rádio Gaúcha:

 

“Para aprovar a reforma do jeito que está, o governo não tem voto nem na comissão”, disse Marcelo Ramos. Sobre a possibilidade de excluir os professores da proposta em tramitação no Congresso. Segundo ele, a ideia é "manter as atuais regras" para a categoria.

 

O puxão de orelhas da Câmara em Paulo Guedes: "O Brasil não trabalha para ele. É ele quem trabalha para o Brasil" O puxão de orelhas da Câmara em Paulo Guedes: "O Brasil não trabalha para ele. É ele quem trabalha para o Brasil"

 

“Estou incluindo professores (nos pontos que podem mudar na proposta) porque dois partidos se manifestaram sobre isso, o MDB e o PL. Somando os dois, são 61 deputados federais. E o governo não terá 61 votos de folga. Se esses dois partidos não votarem com o governo, não vai passar (a proposta na Câmara)”, disse Ramos, em entrevista ao Gaúcha Atualidade.

 

Redação

 


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

‘PT não tem que fazer autocrítica’, diz Lula em evento do partido

Em seu primeiro ato partidário desde que foi solto da carceragem da Polícia Federal na última sexta-feira (7), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou que o PT…

Galdino diz perder votos ao externar felicidade com soltura de Lula

Mesmo com a possibilidade de desagradar alguns eleitores, o presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba (PSB), Adriano Galdino (PSB), reforçou, nesta quinta-feira (14), sua felicidade com a soltura do ex-presidente…