Por pbagora.com.br

“Coloco fé na harmonia”. Foi assim que o novo presidente eleito do Tribunal de Justiça da Paraíba, desembargador Márcio Murilo da Cunha Ramos, projetou o relacionamento com o futuro governador da Paraíba, João Azevêdo (PSB), a partir de janeiro de 2019. O magistrado, no entanto, elencou as dificuldades do poder judiciário e disse que espera a sensibilidade do atual governante para a importância do judiciário paraibano, sobretudo no tocante ao pagamento do duodécimo, com seus devidos reajustes.

 “Eu coloco fé na harmonia que terei com o governador e também com o legislativo, são os três poderes harmônicos e independentes, nos termos da Constituição, quero agendar com ele encontros institucionais, para que se se debata, para que se saiba pelo menos, se reprise que o judiciário é um poder que merece seu respeito e tem sua obrigação social a cumprir. Nós não podemos manter 79 fóruns e mais de 40 depósitos públicos com um congelamento de orçamento e também de financeiro por quatro anos seguidos”, ressaltou.

Em uma breve analogia, o desembargador comparou a situação do judiciário a de uma região que sofre com a seca. No primeiro ano há cortes, no segundo mais dificuldades, no terceiro o colapso e no quarto ano o caos, com medidas duras a serem tomadas, que afetam principalmente a comunidade que mais necessita da justiça para equilibrar e garantir sua dignidade.

“São quatro anos que está congelado o orçamento. Temos um crescimento vegetativo de 12,5% ao ano, ou seja, a cada ano o tribunal perde R$ 10 milhões, sem gastar nada, e já há um déficit aí de R$ 40 milhões. Talvez tenha que fechar algumas comarcas se não houver esse acordo. Mas conto com a sensibilidade do futuro governador para que eu mostre a ele matematicamente e orçamentariamente que nós temos necessidade para prestar uma boa jurisdição”, ressaltou.

O desembargador ainda lembrou que, na Paraíba, há 94% de gratuidade processual e esses recursos que devem ser pagos com o duodécimo.

“O próximo ano será insustentável para o poder judiciário se continuar como está”, avisou. Márcio Murilo vai presidir o Judiciário da Paraíba no biênio 2019-2020

As declarações do desembargador Márcio Murilo foram veiculadas durante entrevista ao programa Arapuan Verdade, nesta sexta-feira (30).

Márcia Dias

PB Agora

 


Veja como adquirir a certificação digital para pessoa física sem burocracia

 

Notícias relacionadas

Filiado ao PSC, Léo Gadelha trata aliança com família Cunha Lima em 2022 como “caminho natural”

O deputado federal Leonardo Gadelha (PSC) inicia um período de quatro meses como titular do mandato parlamentar, em substituição a Ruy Carneiro (PSDB), que se licenciou. Ele afirmou, em entrevista…

“Se houve desvio em qualquer esfera, que seja devidamente apurado” diz Daniella

“Se houve desvio em qualquer esfera, que isso seja devidamente apurado” a frase e da senadora Daniella Ribeiro (Progressistas) que nesta terça-feira (13), ressaltou que tem concentrado esforços tanto para…