Por pbagora.com.br

Em uma nova denúncia o presidente da Câmara Municipal do Conde, Manga Rosa, revelou que a prefeita Márcia Lucena assinou aditivos de contrato enquanto estava presa, fora do mandato. Márcia é investigada e denunciada na Operação Calvário que apura desvios de recursos públicos do Governo do Estado. Ela chegou a ser presa em dezembro de 2019 e cumpre medidas cautelares como o uso de uma tornozeleira eletrônica.

De acordo com o vereador, o Diário Oficial do município registra a assinatura da prefeita em aditivos de contratos no período em que ele estava como prefeito interino. “Como ela assinou isso? Levaram para ela assinar no presídio?”, questiona o parlamentar que afirma não ter assinado contratos no período em que ficou na gestão do Executivo.

De acordo com o documento, a prefeita assinou os aditivos nos dia 18, 20 e 22 de dezembro de 2019, período que ela estava aprisionada.

Redação

 

Notícias relacionadas

Opinião: na PB, uma terceira via política quase nunca existiu, e a história conta

A história da Paraíba sempre foi acompanhada por eventos políticos, confrontos violentos. Assassinatos históricos. Tratados de paz e embates bélicos travados, por exemplo, entre franceses e portugueses. Tabajaras e potiguaras.…

“O principal fiscal é a consciência”, diz Bruno, sobre restrições em CG

O prefeito Bruno Cunha Lima confirmou na manhã desta sexta-feira, 14, durante entrevista à Rádio CBN, que assina hoje um novo decreto com medidas ainda mais restritivas para a prevenção…