Em uma nova denúncia o presidente da Câmara Municipal do Conde, Manga Rosa, revelou que a prefeita Márcia Lucena assinou aditivos de contrato enquanto estava presa, fora do mandato. Márcia é investigada e denunciada na Operação Calvário que apura desvios de recursos públicos do Governo do Estado. Ela chegou a ser presa em dezembro de 2019 e cumpre medidas cautelares como o uso de uma tornozeleira eletrônica.

De acordo com o vereador, o Diário Oficial do município registra a assinatura da prefeita em aditivos de contratos no período em que ele estava como prefeito interino. “Como ela assinou isso? Levaram para ela assinar no presídio?”, questiona o parlamentar que afirma não ter assinado contratos no período em que ficou na gestão do Executivo.

De acordo com o documento, a prefeita assinou os aditivos nos dia 18, 20 e 22 de dezembro de 2019, período que ela estava aprisionada.

Redação

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

No páreo: Inácio Falcão mantém pré-candidatura à PMCG pelo PCdoB

Inácio Falcão reúne pré-candidatos e militância e discute ‘Cidades Democráticas’ em plenária do PCdoB O deputado estadual e pré-candidato a prefeito de Campina Grande, Inácio Falcão, participou de uma plenária…

Pedro evita polemizar imbróglio envolvendo Tovar, Ludgério e Bruno

Presidente estadual do PSDB na Paraíba, o deputado federal Pedro Cunha Lima evitou polemizar, durante entrevista nesta sexta-feira (03), o imbróglio envolvendo os deputados Manoel Ludgério (PSD), Tovar Correia Lima…