O pré-candidato do PPS à Prefeitura de João Pessoa, secretário de comunicação do Estado, Nonato Bandeira, esteve na noite dessa sexta-feira (30), na Associação dos Moradores dos Bancários que fica na região Sul da capital. Como tem feito em várias comunidades, Nonato foi ouvir as críticas e reclamações da população, conhecer de perto a realidade e os problemas, e assim construir o plano de governo.

O Pré-candidato estava acompanhado do vereador Bruno Farias e dos pré-candidatos a vereadores Marcos Antônio Queiroga, Pastor Isaac Venerando, Dr Levi, Luís Paulo de Araújo, Professor Américo e Djanilson da Fonseca, todos do PPS. O presidente da Associação, Antonio Lira, participou do debate

Nonato iniciou um diálogo franco e aberto não só com a população dos Bancários, mas com moradores de outras localidades como o Anatólia, Cidade Universitária, Castelo Branco, Comunidade do Timbó e esplanou sobre a importância da realização dos encontros com as comunidades porque
proporciona um contato direto na construção de um trabalho coletivo e para dar início ao plano de governo. Nonato voltou a afirmar que vai prosseguir
com o trabalho desempenhado pela atual gestão no comando do prefeito Luciano Agra.

Um por um, os moradores foram relatando os problema que enfrentam no bairro. Eles reconheceram as melhorias da atual gestão, mas reivindicam novos avanços e novas melhorias. "Moro em uma área que não tem cobertura do PSF. Acho que uma única unidade para tantas pessoas não é suficiente porque
aqui tem muita gente carente. É preciso ter um atendimento específico para o idoso porque aqui nos Bancários e no Timbó tem muitos deles acamados
necessitando de tratamento", disse a moradora Valdecir Alves Rangel, que  está no bairro há 10 anos.

Além da saúde, os moradores chamaram atenção para outros problemas como a falta de incentivo ao esporte, deficiência do transporte público e melhoria na educação, entre outras reivindicações. O professor de educação física Manoel Carlos, que tem um projeto esportivo no bairro, reconhece os
avanços, porém reclama da falta de mais incentivo para o segmento. Ele reivindica a construção de ginásio poliesportivo com uma quadra coberta,
além de iluminação e manutenção da quadra.

Diante dos apelos, Nonato concordou com a reclamação do professor e reconheceu que muitos pais necessitam as vezes de passagens e uniformes para que os filhos possam representar o Estado em outras localidades. "São questões simples mas que precisam ser corrigidas, por isso precisamos criar
um Fundo Municipal de Esportes que tenha regras simples e claras para suprir essas reivindicações", disse.

Outro tema levantado no debate foi em relação as drogas. Nonato ressaltou a importância da criação de duas frentes de atuação para combater a disseminação e combater uso de entorpecentes. "Desejo trabalhar com duas frentes muito importante, que é a manutenção e a ampliação das escolas em
tempo integral com uma filosofia de formação cidadã, religiosa e esportiva e a criação de um centro para tratar de dependentes químicos", revelou.

Ainda relacionado ás drogas, Nonato disse que o poder público deve firmar convênios com igrejas e associações de bairros para realizar projetos e trabalhos sociais. " A gestão deve ser descentralizada, dividida por pessoas que residem no próprio bairro. Elas devem ajudar estabelecendo uma  relação de troca com boas idéias e trabalho", sugeriu.

Nonato finalizou o debate dizendo que esses encontros têm o sentido e o objetivo de ouvir à população para discutir idéias e encontrar soluções que possibilitem a resolução das demandas dos bairros. 

 

Ascom

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Juízes da PB protestam hoje na capital contra o PL do abuso de autoridade

A Associação dos Magistrados da Paraíba está convocando associados para ato público contra o PL do abuso de autoridade. O protesto está marcado para as13h de hoje na frente do…

Análise: Virgolino levanta suspeita sobre arrombamento de escritório de RC

O deputado estadual Wallber Virgolino sugeriu nesta terça-feira (20/08) que o Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) proceda a investigação sobre o arrombamento do escritório do…