O governador João Azevêdo está no Sertão paraibano aonde entrega obras em diversos municípios. A agenda acontece logo após o auge da celeuma pela qual passava o PSB, partido ao qual João era filiado, que culminou com a sua desfiliação nessa terça-feira, 04, e o anúncio de diversos militantes de que o seguiriam, saindo também do partido.

Questionado sobre se teria mágoas, sobretudo do ex-governador Ricardo Coutinho por conta do que ocorreu dentro da sigla, João disse que o sentimento não é esse, e sim de decepção.

“Eu não tenho mágoa de ninguém não, meu coração não tem espaço pra isso não. Tenho decepção, decepção na vida a gente tem, mas a vida é assim a cada momento você é solicitado a recomeçar e quando você recomeça tem que ser com disposição e com ânimo para aquela nova missão. Saio do PSB absolutamente tranquilo de que tudo que nós construímos ao longo dos anos, porque eu participei dessa construção, eu dei continuidade, eu não mudei sequer o nome de programas” pontuou.

Ao ser questionado sobre uma possível traição, apontada pelo PSB em nota, João rejeitou a pecha declarando que só ele sabe o que passou desde que foi eleito com pessoas da própria sigla tentando inviabilizar a sua gestão.

“Eu não me sinto traidor, esse é o problema, eu não faço essa leitura até porque eu sei exatamente quais os motivos que me levaram a deixar esse partido, durante um ano pessoas, eu diria dos maiores cargos do PSB, tentaram inviabilizar essa gestão e não dá pra entender porque afinal de contas foi um governo construído com um objetivo. Se por acaso alguém imaginava que ia continuar sendo o governador do estado a vida toda, aí é outra coisa, essa é a diferença” concluiu.

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

MPF denuncia prefeita na Paraíba por desvio de recursos da Funasa

Além de Silvana Fernandes Marinho, também foram acusados o chefe de gabinete do município, Samuel Marinho, e o engenheiro Sérgio Araújo O Ministério Público Federal (MPF) na 5ª Região ofereceu…

Presidente do PT/PB não vê novidade em citação nazista por secretário de Bolsonaro

Repercutindo a maior polêmica do dia, que culminou com a demissão do secretário especial de Cultura do governo Bolsonaro, Roberto Alvim, o presidente do PT da Paraíba, Jackson Macêdo declarou…