Durante entrevista a uma emissora de TV de João Pessoa nessa segunda-feira (03), o governador João Azevêdo (PSB) declarou que o fato de ter liberado as obras do Parque Sanhauá no Centro Histórico da Capital não se baseou apenas em bom senso, como avaliou o prefeito Luciano Cartaxo (PV), João disse que tomou a decisão após avaliar todos os relatórios e definir de forma técnica que o embargo da obra traria inúmeros prejuízos.

"Não é uma questão apenas de bom senso, o embargo a meu entender não seria o melhor caminho. Essa é uma decisão puramente técnica, eu não conversei com ninguém da prefeitura, eu me baseei para tomar a decisão apenas nos relatórios do Ipahep" revelou.

Tendo grande experiência na parte técnica de obras, o governador ainda analisou que o embargo foi correto, apenas não seria o melhor caminho a ser tomado no momento.

" O embargo foi absolutamente correto porque para se ter uma obra dentro do centro Histórico você tem que ter o licenciamento do Iphaep e do Iphan, a cautela sugere que a prefeitura esperasse, entretanto começou a ser feito um trabalho, quando identifiquei que havia liberação do Iphan e que a prefeitura havia encaminhado mesmo que em parte as solicitações feitas pelo Iphaep a paralisação de uma obra como aquela e eu sei os problemas que causa, traria muito mais prejuízos do que benefícios" concluiu.

PB Agora

 


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Ruy Carneiro cobra fim da mordomia para filhas de ex-deputados

Com indignação, o deputado federal Ruy Carneiro defendeu nesta segunda-feira (20) o fim imediato dos pagamentos de pensões a 194 filhas solteiras de ex-parlamentares e ex-servidores da Câmara dos Deputados,…

Visando eleições, dois auxiliares de Cartaxo articulam data para deixar a PMJP

As articulações e estratégias visando as eleições municipais deste ano já estão a todo o vapor e quem ocupa cargos públicos precisa se afastar das funções para poder concorrer. Desta…