O Ministério Público Federal em Campina Grande (MPF) ajuizou a Ação de Improbidade Administrativa nº 0000560-44.2013.4.05.8201 contra o ex-prefeito de Massaranduba (PB) Antônio Mendonça Coutinho Filho, bem como em desfavor de Nivandro do Nascimento Falcão, Gutemberg Nascimento Borborema e Ângela Denise Coutinho Espínola.

Os demandadas estão envolvidos em irregularidades na aplicação de recursos repassados pela Fundação Nacional de Saúde (Funasa) ao referido município, através do Convênio nº 315/2001, cujo objeto era a execução de 104 melhorias sanitárias domiciliares na zona rural. Coube à Funasa a liberação de R$ 83 mil e ao município a contrapartida de R$ 4.769,30.

Na ação, explica-se que houve frustração ao caráter competitivo do procedimento licitatório, pois o Convite nº 0023/2002, deflagrado para a construção de 64 módulos sanitários sem água (com recursos do mencionado convênio), foi forjado, isto é, direcionado para que saísse vencedora a Construtora Costa Ltda.

Além disso, sustenta o MPF que as demais empresas participantes da licitação (Construtora JL Ltda. e Construtora Soares Comércio e Construções Ltda. – ME) têm vínculos, ou seja, pertencem a um mesmo grupo voltado a fraudar licitações.

Desvio de recursos – Destaca-se também que o ex-prefeito, juntamente com os demais envolvidos, pôs em prática um plano para desviar recursos públicos. Primeiro, obteve parecer opinando pela redução de metas no número de melhorias sanitárias. Em seguida, fraudou o caráter competitivo do referido procedimento licitatório. E depois, o secretário de Finanças Nivandro do Nascimento Falcão, tido como homem de confiança do ex-prefeito, efetuou saques na conta específica do convênio, apropriando-se do dinheiro público.

Além disso, quem executou a obra foi a própria prefeitura e não a empresa vencedora da licitação, ou seja, a Construtora Costa Ltda. Mesmo assim, a citada empresa expediu nota fiscal de serviço, certificando falsamente que havia recebido R$ 85.280,00 como pagamento pela realização da obra.

A ação foi proposta em 19 de março de 2013. Em despacho, datado de 21 de março de 2013, a Justiça Federal mandou notificar os demandados para oferecer manifestação sobre a ação de improbidade, conforme o artigo 17, parágrafo 7º da Lei nº 8.429/92 (Lei de Improbidade Administrativa). Até agora (novembro) o MPF aguarda o recebimento da ação pelo Judiciário.

 

Ascom

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Para jornal francês, Congresso é casa de “300 ladrões com título de doutor”

Em longo artigo sobre a composição e a atuação do Congresso Nacional, o jornal francês Le Monde Diplomatique traça um perfil pouco edificante da maior casa do poder legislativo brasileiro.…

Hervázio diz que “jamais vai se colocar como um conspirador” no PSB

Ex líder do governo na Assembleia Legislativa no governo de Ricardo Coutinho (PSB), o deputado licenciado e secretário de Esportes, Juventude e Lazer da Paraíba, Hervázio Bezerra (PSB), disse que…