A Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público de Sousa instaurou procedimento para apurar o funcionamento do Departamento de Água, Esgoto e Saneamento Ambiental (Daesa) e a eventual prática de improbidade administrativa. O Daesa é uma autarquia criada pelo Município de Sousa para fazer o abastecimento de água à população, serviço que, de acordo com a promotoria, tem apresentado graves falhas.

Os problemas de desabastecimento gerados pela ineficiência e precariedade dos serviços prestados pelo departamento também vão ser encaminhados à Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor para que sejam adotadas as medidas necessárias.

A falta de água e a má prestação do serviço do Daesa foram discutidos em audiência realizada nesta terça-feira (8) na Câmara de Vereadores, que contou com a participação dos promotores de Justiça Leonardo Quintans Coutinho, Stossel Wanderley de Sousa Neto e Mariana Neves e do procurador federal Rennan Félix.

Também participaram do debate o chefe do Departamento Nacional de Obras contra a Seca (Dnocs), Sebastião Guimarães, a superintendente do Daesa, Margela Elias, representantes da Companhia de Águas e Esgotos da Paraíba (Cagepa), da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

 

O promotor de Justiça Leonardo Quintans disse que já havia requerido à superintendência do Daesa um projeto que solucione o problema do desabastecimento de água em Sousa, mas não obteve resposta. “Constatamos o caos em que esse órgão atua. O Daesa é um órgão deficitário que tem problemas graves. O problema é estrutural, rede antiga, o órgão não tem recursos para investir. A questão das bombas é um complicador, mas não é o fator principal. Toda a estrutura do órgão está deficitária. A realidade é essa. Precisamos debater com toda a sociedade a viabilidade deste órgão. O Daesa não pode permanecer da forma que ele caminha hoje”, argumentou.

Na audiência pública foi informado que o Departamento de Água gera uma divida mensal para o Município de Sousa de R$ 350 mil, sendo que a arrecadação é de R$ 250 mil. Foi informado ainda que a água distribuída pela Cagepa, órgão do Governo do Estado, chega até Sousa, mas problemas na rede distribuidora comprometem o abastecimento nas residências.

 

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Fatores que prejudicaram muito o bom desempenho da gestão de João Azevêdo

O governador João Azevêdo não teve muita sorte neste primeiro momento do seu mandato, de modo que, com certeza, não terá como fazer uma gestão dentro das expectativas dos paraibanos…

Presidente do PSD/CG ainda paquera com prorrogação de mandato

Titular de mandato, o vereador João Dantas, que também é o atual presidente do PSD em Campina Grande, não esconde o desejo de ver o adiamento das eleições desse ano…