O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Eros Grau retirou-se ontem da relatoria do caso que investiga o ex-corregedor-geral da Câmara, deputado Edmar Moreira (DEM-MG). Ele se disse impedido de continuar no caso e determinou que a investigação seja redistribuída para outro colega da Corte, segundo informações do jornal Folha de S.Paulo.

O inquérito investiga se Moreira apropriou-se ilegalmente de contribuições ao INSS feitas por seus empregados. Esse foi um dos motivos para que o deputado deixasse o posto, depois de ter vencido na eleição da Mesa o candidato oficial da legenda, o deputado Vic Pires (PA). Moreira também é acusado de não ter declarado ao Imposto de Renda um castelo de sua propriedade no valor de R$ 25 milhões.

Eros Grau afirmou que se afastou do caso por razões particulares. Ele não quis comentar se há relação entre o afastamento e o fato de a denúncia relacionada ao castelo de Moreira ter vindo à tona. – Só agora me debrucei sobre isso. Tenho milhares de processos para cuidar – disse, segundo a Folha.

A investigação por apropriação indébita contra Moreira foi aberta em julho de 2007, a partir de um processo que corria na Justiça Federal de São Paulo. O deputado já foi denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF) e, caso o novo relator aceite o pedido, a investigação resultará em abertura de uma ação penal.


Portal Terra

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Para jornal francês, Congresso é casa de “300 ladrões com título de doutor”

Em longo artigo sobre a composição e a atuação do Congresso Nacional, o jornal francês Le Monde Diplomatique traça um perfil pouco edificante da maior casa do poder legislativo brasileiro.…

Opinião: João Azevêdo mostra capacidade política e pede que membros do PSB “se desarmem”

O mito criado sobre a figura do governador João Azevêdo (PSB), que o jogava como grande técnico administrativo, não possuindo, no entanto, características necessárias para caminhar nas alamedas tortuosas da…