Por pbagora.com.br

O ministro afastado do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Paulo Medina, acusado de corrupção passiva, entrou com ação nesta sexta-feira (3) no Supremo Tribunal Federal (STF) em que pede o direito de voltar a ter carro oficial, requisitar servidores e receber cota anual de passagens aéreas.

A perda dos benefícios de Medina foi decretada no ano passado pelo Conselho de Administração do STJ, após o Supremo determinar seu afastamento. Apesar de estar afastado do cargo, ele continua recebendo salário de R$ 23.275.

 

Medina é investigado pelos crimes de corrupção passiva (recebimento de propina) e prevaricação (uso de cargo público para a obtenção de vantagens). Em novembro passado, o STF abriu ação penal contra ele por suspeita de envolvimento com a máfia dos caça-níqueis. Se condenado, pode pegar até 13 anos de prisão. Ele nega envolvimento com as irregularidades.

 

Nas investigações da Operação Furacão, deflagrada em 2007, ele foi colocado sob suspeita de envolvimento com a venda de sentenças judiciais para beneficiar a máfia dos caça-níqueis. Segundo a PF, uma das sentenças teria sido vendida por R$ 1 milhão. Medina também nega envolvimento com o caso. Ele alega que teve o nome usado indevidamente por pessoas ligadas à exploração de jogos ilegais.

 

 

Pedido

 

Na ação protocolada no STF, a defesa de Medina afirma que a decisão que tirou seus benefícios é “abusiva e exorbitante”. O advogado acrescenta que o próprio STF deixou claro que o afastamento do ministro “não seria uma forma antecipada de cumprimento da sanção”, citando o princípio constitucional da presunção de inocência.

 

Medina informa também na ação que seu gabinete ainda é requisitado e utilizado para serviços diversos, “como a revisão de votos, a finalização de votos-vista e a revisão de notas taquigráficas de sessões que haviam sido interrompidas”.

 

 

G1

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Opinião: luta entre PT e PSB em JP favorece Centro, Centro-esquerda e Direita

Ainda bem moço, moço mesmo, tive e ainda tenho uma enorme paixão. O nome da moçoila atende pelo singelo nome de História. Sim, ela mesma, havendo um desejo incontido em…

Jurídico do PT vai recorrer de pedido do MPE contra candidatura de Anísio

Em razão do pedido realizado pelo promotor eleitoral, Alexandre Varandas Paiva, feito à Justiça Eleitoral, o representante jurídico da Coligação PT e PCdoB ‘Unidos por João Pessoa’, Anselmo Castilho, afirma…