Ricardo Marcelo entra em cena e mostra por que deve ser reconduzido a presidência da ALPB

Percebendo a iminência do acirramento da disputa pela cadeira de presidente da Asslembléia Legislativa da Paraíba, o deputado estadual Ricardo Marcelo, atual ‘dono’ do posto resolveu sair dos bastidores e partir para a campanha pela permanência no cargo no próximo mandato. Em release encaminhado a imprensa através da assessoria, os ‘predicados’ do atual presidente é ressaltado, enfatizando as razões do tucano merecer voltar a presidedir o parlamento paraibano.

 

Leia o release na íntegra

 

Por que o deputado Ricardo Marcelo presidente da AL de novo

 

A trajetória política do deputado estadual Ricardo Marcelo, PSDB, com certeza o credencia para disputar a presidência da Assembleia Legislativa. Empresário bem sucedido entrou na política em 2002. Foi eleito pela primeira vez deputado estadual. Daí para cá foi eleito mais duas vezes, sempre pautando suas ações, suas decisões com o maior zelo ao se tratar do interesse público. Em 2006, Ricardo Marcelo foi eleito Primeiro Secretário da Mesa da AL. Com a saída de Arthur Cunha Lima para o TCE, a presidência da Casa de Epitácio Pessoa passa para as mãos do político e do empresário que passou a imprimir novas maneiras de administrar aquela Casa, sendo aplaudido por “gregos e troianos”.

 

Ao longo desse tempo na presidência da AL Ricardo Marcelo ganhou um título muito importante para a carreira de um político, o de “diplomata”, aquele parlamentar que dialoga, que apazigua as situações conflituosas, que consegue resultados importantes.

 

De volta de uma campanha política vitoriosa, Ricardo Marcelo foi chamado para assumir o Governo do Estado da Paraíba. Durante os dias que passou no comando do Executivo Estadual, procurou ser sempre Ricardo Marcelo: calmo, diplomata, atencioso e honrador dos seus compromissos.

Atualmente os preparativos para mais uma eleição de presidente da Assembleia Legislativa estão sendo feitos. De um lado, deputados aliados do governador eleito Ricardo Coutinho, PSB; do outro, deputados da base do governador José Maranhão, PMDB. Ricardo Marcelo está exatamente no meio dessas duas forças, preparado para ser presidente novamente, pois já demonstrou sua capacidade de administrar com seriedade, sem estampidos políticos, sem atropelo em suas decisões. Além do mais, transita bem entre oposição e situação.

 

A Assembleia Legislativa tem que ser administrada com diplomacia e não com chicote. Um Poder que comporta milhares de funcionários e 36 parlamentares tem que ter no seu comando um presidente de pulsos fortes ao defender os anseios da população, uma pessoa com leveza nas negociações que sejam do interesse público, um homem probo em seus atos. Ricardo Marcelo reúne, sim, todas essas qualidades. O coronelismo é passado. O chicote é, hoje, peça de museu. O respeito ao cidadão tem que começar de fora para dentro da Casa de Epitácio Pessoa, a nossa querida Assembleia Legislativa. Cada parlamentar eleito, e que estará escolhendo o novo presidente da AL em primeiro de fevereiro próximo, terá a chance de ter Ricardo Marcelo presidente, em nome do consenso, dos bons costumes, da ética e da decência.

 

 

Redação com Assessoria

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Análise – Rompidos, ou não, a verdade é: quem tem cargos no governo está sendo chamado ao palácio para declarar se fica com João ou RC

Se o rompimento político entre João Azevedo e Ricardo Coutinho será contornado, ou não, aí é com Mãe Diná… No mais, a verdade é que – há uma semana –…

Veneziano encontra com Carlos Siqueira para estancar crise do PSB/PB

Na tentativa de mediar um diálogo que restabeleça as boas relações no Partido Socialista Brasileiro, da Paraíba, o senador Veneziano Vital do Rêgo, se reuniu na manhã desta quarta-feira (21),…