José Maranhão (PMDB) renunciou ao cargo de senador nesta quarta-feira (18). A Mesa do Senado recebeu por volta das 18h a carta em que Maranhão anuncia que deixará o cargo.

 Ele renunciou ao Senado, após ser diplomado governador da Paraíba pelo Tribunal Regional Eleitoral, em João Pessoa. A renúncia é necessária para que Maranhão seja empossado governador da Paraíba.

 A carta de renúncia foi entregue pouco depois do horário marcado para a posse, às 18h, na Assembléia Legislativa da Paraíba, que atrasou. A leitura da carta de renúncia foi feita pelo 3º Secretário do Senado, presidente em exercício da Casa, senador Mão Santa (PMDB-PI).

“Tendo em vista decisão do TSE (…), comunico à Vossa Excelência que optei por assumir o cargo de governador do estado da Paraíba, para o qual fui eleito no pleito majoritário de 2006, razão pela qual a partir desta data deixo de exercer meu mandato”, disse a carta de renúncia.

 O suplente de José Maranhão no Senado, o empresário Roberto Cavalcante, esperava a confirmação da renúncia do senador para tomar posse.

 Ao chegar à Assembléia Legislativa para a solenidade de posse, o novo governador afirmou à reportagem da Globo News que terá como prioridade concluir as obras públicas inacabadas no estado.

Ele afirmou que, embora o governador cassado e adversário político Cássio Cunha Lima (PSDB) tivesse a maioria na Assembleia, Maranhão disse não acreditar que terá problemas para governar.

“Não vou ter dificuldades porque acredito na ‘paraibanidade’ de todos os políticos da Paraíba”, declarou.

Maranhão ocupará o cargo de Cássio Cunha Lima, que, em decisão unânime, teve a cassação mantida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na terça-feira.

 Na manhã desta quarta, o presidente da Assembléia Legislativa, Arthur Cunha Lima (PSDB), primo do governador cassado, assumiu interinamente o cargo, até o momento da posse de Maranhão.

 A assessoria de Cássio Cunha Lima informou que os advogados dele já ingressaram na Justiça com recurso contra a decisão do TSE que o afastou do cargo.

 Irregularidades

Ao decidir pela eleição de Maranhão, o TSE considerou que, mesmo com as denúncias de irregularidades que atingiram o governador cassado e o vice, José Lacerda Neto (DEM), a eleição de 2006 foi válida. Por isso, determinou a posse do segundo colocado na eleição.

 Com a posse de Maranhão, o novo vice-governador da Paraíba será Luciano Cartaxo (PT), atualmente vereador em João Pessoa e companheiro de chapa do peemedebista durante o pleito.

O presidente do TSE, Carlos Ayres Britto, afirmou que o afastamento deverá ocorrer no mesmo dia, assim como a posse de Maranhão. Cabe à assembleia marcar o horário da solenidade.

G1

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Sem mandato, Cássio garante que continuará colaborando com a Paraíba e classifica como remota tese de disputar PMCG

Sem mandato há seis meses, o ex governador e ex senador Cássio Cunha Lima (PSDB), praticamente afastou a possibilidade de disputar a prefeitura de Campina Grande nas eleições do próximo…

Deputado explica motivos de críticas e nega afastamento político do prefeito Romero Rodrigues

Após formular críticas a gestão municipal por meio das redes sociais, o deputado federal Julian Lemos (PSL) afirmou que continua apoiando a administração do prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues…