Por pbagora.com.br

Em dia de visita de Maranhão a Campina e promessa de declarações “misteriosas” do prefeito Veneziano nesta sexta, reproduzo artigo exclusivo do jornalista Júnior Gurgel, dono de uma pena invejável e de uma imagem odiada por muitos:

 

ESQUECERAM CAMPÍNA III
Júnior Gurgel

O Governador José Targino Maranhão, que chega aos seus 100 primeiros dias de Governo semana vindoura, é visto hoje por Campina Grande, como um mero desconhecido, ignorado pela maioria esmagadora dos seus habitantes, mormente pela frustração que submeteu seus aliados de todas as horas, o Prefeito Veneziano e seu irmão Deputado Federal Vital Filho. A “lealdade” do Governador Maranhão, se assemelha historicamente ao acordo celebrado entre Adolf Hitler e Benito Mussolini (eixo Roma/Berlim). Depois de varrer a Europa com sua invencível blitzkrieg, a Alemanha esqueceu a Itália, e passou a colaborar efetivamente com a Rússia, cumprindo as exigências do ditador Joseph Stalin, contidas no pacto de “não agressão”, cujo objetivo era Hitler expandir suas fronteiras na Europa, sem ser incomodado pelo tirano Soviético. Questionado pelo Grande Conselho do partido Fascista, por que toda conquista de Hitler no continente, a Rússia tinha uma compensação territorial (a Itália não), o líder Fascista Mussolini ironizou: Calma… Ainda nos resta a lua.


Qual o papel ou espaço está reservado aos Maranhistas da família Rêgo? Desde 1960, passando pelo período de chumbo da Ditadura Militar, Campina Grande sempre teve o respeito de todos os Governantes da Paraíba, que a prestigiaram com no mínimo três Secretarias de Estado, além de uma centena de cargos no segundo escalão, e nas Empresas de Economia Mista, Autarquias, Fundações. No atual Maranhão III, tem apenas ½ Secretário. O Ex-Vereador e Agente Fiscal, Francisco de Assis Costa, que como Adjunto, responde pelo futuro titular da Secretaria de Interiorização.


O vexame tem sido tamanho, e sem nenhuma explicação lógica, que os correligionários e formadores de opinião ligados ao Prefeito Veneziano, despidos de argumentos, e rindo da própria desgraça consideram o Governador como o “mui amigo” de Veneziano. Personagem do humorista Jô Soares, nos anos oitenta, século passado.


Desnudo de discurso, o Prefeito Veneziano Vital do Rêgo – que responsabilizava o ex-Governador Casio Cunha Lima por tudo que havia de errado em sua administração – percebe as intenções de seu correligionário Maranhão: Um funeral político, com honras e pompas de Chefe de Estado, vítima da “conspiração” orquestrada pela crise econômica, e a queda (?) do FPE – fundo de Participação dos Estados. Recursos inexpressivos, comparados ao ICMS.

As exéquias se iniciaram, quando Veneziano não conseguiu “emplacar” um único Secretário na equipe do Governador amigo. Nenhum convênio de valor expressivo foi assinado. Dando seqüência a cerimônia do féretro, veio a desarticulação do processo rescisório da concessão do fornecimento de água para o município, ora feito pela CAGEPA, que daria lugar a uma empresa municipal. A CAGEPA apresenta ao correligionário, uma dívida de oito milhões de reais, valores e débito não reconhecidos e honrados no Governo anterior. Porém, parece que vai ter que ser paga, ao Governo amigo. Bons tempos, o do Governador Cássio Cunha Lima…


Considerado como “de casa”, em todos os sentidos – observe-se a fidelidade partidária – resta ao Prefeito Veneziano Vital do Rêgo esperar o fim do “banquete” oferecido aos convidados (alianças futuras), para poder ser servido na cozinha, na companhia dos humildes serviçais. Os comensais são: O Prefeito de João Pessoa Ricardo Coutinho, O Senador Efraim Morais, e (pasmem) até o Senador Cícero Lucena.


Só não enxerga quem não quer ver que no Governo Maranhão – “esqueceram Campina versão III” – Não há espaços na mesa da “casa grande”, ocupada pelo “inquilino” de plantão José Targino Maranhão, para Campinenses. Aliás, isto ficou patente, desde as convenções de 1998. Os Rêgo vão continuar se enganando? Em defesa de Campina, nada é impossível.

Não se espantem se houver uma “atração” dos opostos.

 

Soltas no ar

 

 

Protesto em branco

 

Excluídos do processo de escolha do Procurador-Geral de Justiça, conforme sugere projeto de lei que desembarcou na Assembléia, os promotores articulam um protesto ideológico em caso de aprovação da proposta: deverão votar todos em branco.

 

Cartaxo prefeito em 2012

Caladinho, caladinho, o vice-governador Luciano Cartaxo trabalha de olho em ser candidato a prefeito de João Pessoa em 2012. O maior problema é o próprio partido, que parece detestar o sucesso de seus integrantes.

 

Luiz Couto arrisca tudo

O ex-senador Ney Suassuna (PMDB), que tramou o possível e o impossível para abater Cícero Lucena da disputa por uma vaga de Senador em 2006, está fazendo escola. O deputado federal Luiz Couto, de olho numa vaga de senador, mirou o senador Efraim Morais (DEM). É o principal fornecedor de material para a imprensa nacional contra o democrata.

A história, no entanto, ensina que quem arma, perde.

 

Unimed-JP põe vida de deputado em risco

O deputado estadual Aguinaldo Ribeiro (PP) não está nada satisfeito com a Unimed-JP. A empresa foi a primeira que ele procurou quando, há uma semana, desmaiou em casa após sentir-se mal. Atendido no Hospital da Unimed, o deputado levou um tapinha no rosto para acordar e recebeu a recomendação para voltar para casa.

Desconfiado, Aguinaldo ligou para seu médico em São Paulo e foi recomendado a viajar urgentemente para ser atendido no Sírio Libânes. Resultado: detectaram séria bactéria no organismo do deputado, que submeteu a eficiente e urgente tratamento para se curar. O deputado estuda processo contra a Cooperativa.

De fato, o Hospital da Unimed tem se especializado em driblar doenças. E não ajudar a curá-las.

Deselegância

Foi de uma deselegância sem medidas o que o jornalista Walter Santos insinuou, em recente entrevista, a respeito do Portal PB Agora, talvez ressabiado pela presença incômoda que o novo projeto representa para sua empresa hoje em dia. Em entrevista ao programa Tribuna de Mídia, de Heraldo Nóbrega, o nobre jornalista insinuou em tom de deboche que o dono do PB Agora poderia se tratar de um “fantasma”.

Amigo, Walter, respeite quem se esforça, assim como você, dia e noite para defender o pão de cada dia.

Aliás, não seria a WSCOM, já não mais referência de credibilidade no mercado de portais, que vem padecendo da falta de um dono?
 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

CUITÉ: em vias de ser declarada inelegível, Euda Fabiana recorre no STJ e sofre derrota vexatória

No desespero de conseguir o deferimento de sua candidatura a prefeita de Cuité, Euda Fabiana (MDB) recorreu da decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que ratificou a sua condenação…

Alvo da Calvário, RC diz que operação foi armação para lhe excluir da política

“Nunca recebi nada de ninguém e tenho como provar a minha inocência”. A declaração foi dada nesta terça-feira (07), durante entrevista, pelo ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, do PSB. Segundo…