O candidato ao governo da Paraíba Zé Maranhão, do MDB, em debate na tv, apresentou propostas para assuntos que interessam à população nos mais diversos setores e falou diretamente com os policiais civis e militares; com comerciantes e empreendedores, com a comunidade acadêmica da UEPB e com todos que dependem da saúde pública, segurança e educação.

“Tenho um compromisso em restabelecer a paridade entre policiais ativos e inativos, tanto da Polícia Militar quanto da Civil, assim como chamar todos os concursados que tenham direito legalmente. Devido ao baixo contingente em relação ao total da população, farei também concursos públicos para civis e militares”, afirmou.

Zé Maranhão também ressaltou que a grave crise econômica, que vem gerando desemprego recorde, não é apenas reflexo do que acontece no resto do país, mas também se relaciona ao arrocho fiscal do atual governo da Paraíba. “Vou acabar com a cobrança antecipada de impostos. Ou seja, os comerciantes só vão pagar quando venderem a sua mercadoria”, disse,

Para o candidato, a saúde pública também precisa ser recuperada, para dar mais dignidade a quem busca atendimento em postos, ambulatórios e hospitais. “Vou construir o Hospital do Trauma no Sertão e recuperar a administração pública nas demais unidades, hoje terceirizadas. Assim como vou reabrir as delegacias, que voltarão a funcionar 24 horas. Também tenho compromisso com a educação técnica, para profissionalizar nossos jovens e com a autonomia plena da UEPB, nosso grande patrimônio, hoje esquecido pelo atual governo”, concluiu.

 

 

Redação com Assessoria

 


Certificado digital mais barato para advogados e contadores. Clique e saiba como adquirir

 

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Julian Lemos e Carlos Bolsonaro voltam a se agredir nas redes sociais

Em mais um dia de agressões mútuas o deputado federal paraibano e presidente estadual do PSL Julian Lemos, voltou a rebater declarações supostamente ácidas do vereador do Rio de Janeiro…

Opinião: Bolsonaro resgata o clima de hostilidade à imprensa, vivido na ditadura

Bolsonaro sempre se apresentou como uma proposta verdadeiramente perigosa e ameaçadora à jovem democracia brasileira. Um grosso, truculento; daqueles que lembram os patéticos arroubos de ignorância do general Newton Cruz…