Por pbagora.com.br

Os deputados federais Manoel Júnior e Hugo Mota, separadamente, fizeram essa semana análises sobre os rumos das alianças com vistas ao pleito de 2014. Enquanto Júnior admitiu a possibilidade do PMDB abrir um canal de conversação com o PSDB do senador Cássio Cunha Lima, o jovem Mota questionou a candidatura do PT na Paraíba, atualmente representada pela ex-vereadora Nadja Palitot.

Com o PT apresentando uma candidata para concorrer ao governo estadual e o PMDB tendo como pré-candidato o ex-prefeito de Campina Grande, Veneziano Vital do Rêgo, Hugo Mota lembra que a aliança entre os dois partidos no âmbito nacional existe, mas que no âmbito Paraíba careceria de uma reflexão das prioridades do PT Nacional.

Para Hugo, o PT estadual precisa se decidir, pois, na opinião dele, nenhum outro que não seja o PMDB poderá dar a Dilma à força que ela precisa na Paraíba para a sua reeleição presidencial.

“Temos que saber qual o projeto que o PT tem para 2014. Se é a eleição estadual ou se é a reeleição de Dilma. Por que qual o partido dará a capilaridade que Dilma precisa na Paraíba se não o PMDB?”, questionou.

MANOEL JÚNIOR ABRE PORTAS PARA PSDB

O PMDB já escolheu ex-prefeito de Campina Grande Veneziano Vital do Rêgo como candidato ao governo do Estado, e está aberto a conversação visando futuras alianças com todos os partidos que fazem oposição ao modelo administrativo implantado pelo governador Ricardo Coutinho.

Manoel Junior enfatiza que a candidatura de Veneziano está consolidada, tem crescido a cada dia em todo o Estado Paraíba, e por isso, o PMDB está de portas abertas para conversar com os partidos de oposição “no intuito de fazer uma Paraíba mais democrática”.

O deputado alegou que o PMDB tem um candidato para as eleições 2014 e Cássio faz parte da base de apoio do governador Ricardo Coutinho, mas se vier a ocorrer um rompimento do tucano com o grupo político do governador, o PMDB poderá pensar uma composição com ex-governador.

– Temos um quadro de desfecho entre o governador e o senador Cássio e dependendo disso, a partir de março o PMDB fará alianças com partidos que estão no campo das oposições. Metade dos tucanos da Paraíba fazem parte da oposição. Dependendo do que ocorra da relação entre Cássio e Ricardo, os que estiverem no campo poderão conversar com o PMDB – afirmou o parlamentar. O deputado deixou claro ainda que a outra condição para o PMDB e o PSDB da Paraíba dividirem o mesmo palanque, é Cássio desistir de ser candidato a governador.

Manoel Junior também adiantou que partido deverá fazer uma pré-convenção em abril e espera que a aliança PMDB-PT seja mantida, pois, segundo ele, vem dando certo no Brasil.

Ele observou que o PMDB e o PT são aliados em nível nacional e vão trabalhar pela reeleição da presidente Dilma Rousseff. O deputado acredita que na Paraíba, a aliança nacional também deverá se repetir, mesmo que seja no segundo turno. Segundo o deputado, dois partidos tem muitos pontos em comum, e, ideologicamente, comungam dos mesmos ideais.

 

Severino Lopes/ Márcia Dias


PBAgora

 

Notícias relacionadas

PB encerra a semana com a maior redução no número de mortes por covid do Brasil

Após muito sufoco nos últimos dias, a Paraíba encerrou a semana com a maior redução de mortes por Covid-19 no Brasil, na média móvel dos últimos 7 dias, e como…

Covid: projeto para impedir fraude na aplicação de vacina em João Pessoa passa na CCJ

CCJ é favorável a projeto que prevê demonstração do procedimento de aplicação da vacina contra Covid-19 ao paciente Os profissionais de saúde pública, que estejam diretamente envolvidos no processo de…