Por pbagora.com.br

Por não recolher as contribuições patronais dentro do prazo e optar por sucessivos parcelamentos, a prefeitura do município de Pedras pode comprometer as futuras gestões na cidade. Um relatório do processo oriundo de denúncia por parte dos vereadores da oposição atesta o fato.

Ainda no início do mês o pré-candidato à prefeitura de Pedras de Fogo, Manoel Júnior, do Solidariedade, fez uma live justamente para alertar a situação precária em que se encontra o Instituto de Previdência Municipal da cidade, e constatar que a denúncia não se tratava de mera fake news, como alegava a gestão municipal.

Agora, caberá ao Ministério Público protocolar ação penal com base em relatório do TCE que atestam a apropriação Indébita. Segundo o Código Penal, é crime punido com reclusão, de 2 (dois) a 5 (cinco) anos, e multa, deixar de repassar à previdência social as contribuições recolhidas dos contribuintes, no prazo e forma legal ou convencional.

CONFIRA OS DOCUMENTOS.

proc_11610_20_relatorio_inicial

 

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Minimizando ‘pé de guerra’ RC agradece apoio do PT: “Alegria fraternal”

Minimizando e praticamente ignorando o verdadeiro pé de guerra que a intervenção da Executiva Nacional do PT causou dentro da sigla na Paraíba, ao anunciar apoio ao seu nome e…

Ruy anuncia plano para transformar mercados em polos gastronômicos e turísticos

Determinado a promover a retomada do crescimento econômico de João Pessoa, o pré-candidato a prefeito Ruy Carneiro anunciou neste sábado uma série de ações para reconfigurar os mercados públicos da…