Por pbagora.com.br

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva comentou com aliados que pretende assumir um papel mais de "observador" das campanhas aos governos dos Estados e ao Senado nesta primeira fase.

Pela sinalização lulista, sua participação nos Estados só deve ocorrer quando o quadro estiver mais definido, e nos locais onde avaliar que sua imagem terá peso no desfecho da disputa.

Segundo consta, o "stand by" do presidente também atende a outro objetivo: ele deixou claro que só entrará em campo em favor de candidatos que se empenharem na campanha de Dilma Rousseff.

O recado é: quem fizer corpo mole na corrida presidencial pode ficar de fora da lista dos que receberão apoio explícito do petista.

 

Folha online

Notícias relacionadas

Levantamento do PB Agora contabiliza 10 nomes cotados para disputar única vaga da Paraíba no Senado em 2022

Um levantamento feito pela reportagem do PB Agora contabilizou ao menos dez nomes cotados para ingressar na disputa pela única vaga da Paraíba no Senado Federal nas eleições de 2022.…