Antes de deixar Maputo e seguir para Seul, para reunião do G20, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que a operação feita pelo banco Panamericano foi legal, mas afirmou que não tratou do assunto com o empresário Silvio Santos.

"O banco Panamericano do Silvio Santos tomou o empréstimo dos próprios bancos, do fundo garantidor dos bancos. O fundo garantidor existe exatamente para isso, para o Panamericano e para qualquer outro banco que precise. Se amanhã o Banco do Brasil tiver um problema e quiser dinheiro ele vai no fundo garantidor e toma dinheiro emprestado", afirmou Lula.

Silvio Santos se reuniu com o presidente mês passado, no Palácio do Planalto. Segundo o empresário, no encontro, pediu a Lula doação para o Teleton. "Não [conversei com Silvio Santos] porque não é assunto do presidente da República. O presidente não empresta dinheiro, não faz negócios com bancos e não fiscaliza bancos. Isso quem faz é o Banco Central do Brasil", disse.

Sobre a decisão do TCU (Tribunal de Contas da União) de recomendar a suspensão de 32 obras públicas por apresentar graves irregularidades, Lula disse que nem sempre o que o órgão constata é verídico. "O TCU investiga, manda seus engenheiros e seus técnicos, eles constatam algumas coisas e, nem sempre o que constatam é verídico", afirmou.

Segundo o presidente, as investigações fazem parte da "normalidade administrativa" do país e os ministérios ou empresas atingidas pela suspensão irão recorrer da decisão.

Intervenção

A Caixa Econômica Federal anuncia nesta quarta-feira, em uma ação conjunta com o Banco Central, uma espécie de intervenção "branca" no PanAmericano, segundo a Folha apurou. O banco informou ontem que receberá do Grupo Silvio Santos aporte de R$ 2,5 bilhões, após a constatação de "inconsistências contábeis que não permitem que as demonstrações financeiras reflitam a real situação patrimonial da entidade".

A Caixa comprou 35,54% do capital social do PanAmericano em novembro de 2009, em uma operação de R$ 739,2 milhões. A negociação foi aprovada pelo Banco Central em julho deste ano, no último passo para a finalização da operação.

Com 49% do capital votante e 20,69% das ações preferenciais, a Caixa tem o direito de indicar igual número de membros para o Conselho de Administração do banco que a holding Silvio Santos, sócia majoritária da instituição financeira. Pelo acordo de acionistas, a presidência do Conselho seria alternada anualmente com a indicação da CaixaPar (Caixa Participações) e do grupo pertencente ao apresentador de TV.

Além desses direitos, a Caixa deverá colocar funcionários em cargos executivos na direção do Panamericano, segundo informações de pessoas próximas à operação.
 

 

Folha online

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Julian não assinou lista que alçava filho de Bolsonaro à liderança do PSL

Os áudios polêmicos do deputado federal Julian Lemos e de Jair Bolsonaro, amplamente divulgados na imprensa, além da informação de que o presidente teria uam ‘lista negra’ de traidores e…

TRF absolve vice prefeito Enivaldo Ribeiro em ação de improbidade

A 3ª turma do TRF da 5a Região , em julgamento ocorrido nesta quarta -feira , reformou sentença proferida pela 4a Vara Federal de Campina Grande, julgando improcedente ação de…