Por pbagora.com.br
Vice-governadora da Paraíba, Lígia Feliciano, concede entrevista após reunião com o presidente da República. Foto: Jane de Araújo/Agência Senado

Apesar do ex-presidenciável Ciro Gomes (PDT) ter aberto as portas do partido para receber uma eventual filiação do governador João Azevêdo (PSB), a vice-governadora Lígia Feliciano (PDT) tem evitado especular em torno de uma possível gestão ‘puro sangue’ no Estado da paraíba. Em entrevista à imprensa, nesta quarta-feira (20), Lígia lembrou que nenhuma articulação avançou no segmento partidário.

“O que acontece é que não tem nada tratado a respeito disso. Respeito muito o governador, entendo das questões do PSB, isso diz respeito ao partido dele. Eu sou muito ética. Eu não quero me envolver numa questão partidária. Nós somos do PDT, um partido aliado desde 2011e nós respeitamos a posição do governador. De repente surge isso aí, mas nada foi conversado ou tratado a esse respeito”, ressaltou.

Feliciano, que está interinamente no comando do Governo disse ainda que não interferiria em questões internas do PSB e afirmou que não sabe se, de fato, João deixará o partido.

“Devemos respeitar o governador. Ele nunca se pronunciou a esse respeito. Ele faz parte de um partido político e tudo mais que a gente venha a comentar sobre especulações. Vamos respeitar o governador e vamos respeitar o PSB”, afirmou Feliciano.

 

PB Agora

Notícias relacionadas

Apoio a entidades sociais é prioridade de Ruy durante agenda em Brasília

Dedicado à assistência social a idosos, crianças, pessoas com câncer, mulheres e jovens em situação de vulnerabilidade, o deputado federal Ruy Carneiro ocupa boa parte da sua agenda de trabalho…

Opinião: a proposta irresponsável e genocida defendida por Wellington Roberto

A proposta que o deputado federal paraibano, Wellington Roberto (PL-PB), defendeu em entrevista ao programa Arapuan Verdade é excludente, irresponsável e genocida. Num cenário de pandemia, em que há uma…