O deputado estadual Ricardo Barbosa (PSB), acusou a oposição – citando nominalmente o deputado estadual Cabo Gilberto e o deputado federal Julian Lemos (ambos do PSL) – de atuarem de forma leviana e irresponsável nos debates sobre segurança pública na Paraíba, especialmente no mês de junho, quando milhares de pessoas ser reúnem para comemorar os festejos juninos os mais diversos municípios do estado.

– É uma coisa recorrente. Todo mês de junho – podem atentar – os opositores da segurança pública a Paraíba (porque não são defensores, são opositores, esse é que é o fato) se instrumentalizam de informações, as mais diversas, e muitas vezes inverossímeis, para tentar correr as práticas das polícias Militar e Civil, focando, de forma pouco responsável, para que esses profissionais não cumpram o seu papel em defesa da vida e em defesa da sociedade paraibana – disparou.

Justamente neste período, enfatiza Barbosa, em que multidões são reunidas, nos mais diversos municípios paraibanos, para as comemorações dos festejos juninos. “São milhares de pessoas reunidas para celebrar o que tem de mais importante na nossa cultura, que são os festejos juninos”, destacou o parlamentar, insinuando uma tentativa de sabotar os festejos juninos e deixar a população desprotegida.

O deputado acusou os dois parlamentares de disseminarem, diariamente, notícias, nos mais variados veículos de comunicação do estado, “para promover a cizânia, promover o descontentamento, instigar a corporação a cruzar os braços, quando na verdade precisamos da corporação unida para defender nossas vidas, para defender as vidas dos nossos familiares”.

O deputado acrescentou que essa cantilena é conhecida, especialmente no mês de junho, quando “começa esse fogo de monturo, que cresce de forma a estimular a Polícia Militar a não exercer a sua condição plena de promover a salvaguarda de nossas vidas.
Barbosa admitiu que as críticas à hora-extra pago aos policiais durante os plantões nos festejos juninos poderia ter um valor mais significativo, e se comprometeu a conversar com o governador João Azevedo (PSB) a respeito desse assunto, “para ver se encontramos uma forma de aumentar essa gratificação”.

– É baixo o valor da hora-extra pago os profissionais que são deslocados para o cumprimento dessa missão, mas é preciso que tenhamos a responsabilidade de não fazermos com que a Polícia Militar, notadamente, neste mês o seu papel mais precípuo de salvaguardar a vida do povo paraibano – concluiu.

 

Redação

 


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Eduardo Bolsonaro é o novo líder do PSL na Câmara

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) é o novo líder do partido na Câmara. O nome dele apareceu no sistema da Câmara como novo ocupante do cargo no início da tarde…

Ex-presidente do PSL/SE acusa Julian de integrar complô na sigla e trair Bolsonaro: “Hoje ele trabalha contra o presidente”

Em entrevista bombástica concedida ao programa Arapuan Verdade, na tarde desta terça-feira (22), o ex-presidente do PSL de Sergipe, João Tarantela acusou o deputado federal paraibano, Julian Lemos (PSL) de…