Por pbagora.com.br

Mais uma vez a cidade de Bayeux está envolta em uma polêmica, desta vez o Tribunal de Justiça da Paraíba cancelou novamente a eleição para a escolha de prefeito e vice na Câmara Municipal de Bayeux. A decisão foi proferida pela desembargadora Maria das Graças Morais Guedes, ao analisar agravo de instrumento protocolado pela vereadora Lucília Freitas (DEM). A parlamentar teve o registro de candidatura impugnado e alegou problemas no edital que previa a eleição para esta quinta-feira (13).

A eleição havia sido suspensa, anteriormente, pelo juiz Sérgio Lopes, no Plantão do Judiciário. A decisão, agora revista, foi suspensa nesta quarta-feira (12) pelo juiz Francisco Antunes Batista, da 4ª Vara Mista da cidade. Ele se pronunciou em petição protocolada pelo vereador Adriano Martins. O magistrado determinou que o calendário fosse mantido.

Com a decisão da desembargadora, a eleição volta à condição de indefinida. O presidente da Câmara, Inaldo Andrade (Progressistas), terá que elaborar um novo edital e convocar novas eleições. Não foi estabelecido prazo para que isso ocorra. A eleição indireta ocorreria nesta quinta, às 9h. Ao todo, seis chapas estavam inscritas para concorrer no pleito.

Francisco Antunes

A decisão de Francisco Antunes que determinava a nova eleição dizia que o fato de o edital não ter previsto prazo para recurso em caso de impugnação de candidaturas não afetava o pleito. Lucília figurava como vice na chapa encabeçada pelo presidente da Casa, Inaldo Andrade, e teve a participação no pleito impugnada. O argumento acatado por Sérgio Lopes não convenceu Francisco Antunes.

Em decisão proferida nesta quarta-feira (12), após provocação de Adriano Martins, ele entendeu que a parlamentar não poderia alegar desconhecimento do edital e falta de tempo para conseguir a documentação necessária para o registro de candidatura. “Assim, sendo a impetrante vereadora do município e companheira de chapa da autoridade coatora, jamais poderia alegar desconhecimento dos prazos do Edital, devidamente debatido na referida Casa Legislativa”, disse.

A eleição indireta em Bayeux ocorre por causa da vacância no cargo provocada pela renúncia do prefeito Berg Lima, que renunciou ao cargo no mês passado. Como o vice, Luiz Antônio (PSDB), havia sido cassado no ano anterior, o cargo ficou vago. A vaga na prefeitura é ocupada atualmente interinamente pelo presidente da Câmara, Jefferson Kita (Cidadania)

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Ruy anuncia plano para transformar mercados em polos gastronômicos e turísticos

Determinado a promover a retomada do crescimento econômico de João Pessoa, o pré-candidato a prefeito Ruy Carneiro anunciou neste sábado uma série de ações para reconfigurar os mercados públicos da…

Após ser anunciada como vice de RC, Paula Frassinete renuncia

Apenas um dias após ser registrada como companheira de chapa do ex-governador Ricardo Coutinho (PSB) na corrida eleitoral pela Prefeitura Municipal de João Pessoa, a ex-vereadora Paula Frassinete renunciou do…