O deputado estadual João Bosco Carneiro Júnior, do PPS, foi condenado, duplamente, por ato de improbidade administrativa à época em que exercia o cargo de prefeito do município de Alagoa Grande, no Brejo paraibano e, além de multas e proibição de contratar com o poder público por cinco anos, também terá que ficar três anos com os direitos políticos suspensos.

Nas duas ações civis por Improbidade administrativa (0001751-47.2014.815.0031 e 0000521-96.2016.815.0031) contra o hoje parlamentar foi ajuizada pelo Ministério Público da Paraíba em atendimento a denúncia formulada pelo atual Procurador Geral do município de Alagoa Grande.

João era investigado pela prática de prevaricação e ato de improbidade administrativa causador de dano ao erário por ter atuado com desídia e desinteresse processual na condução de execução fiscal promovida contra o espólio de seu falecido genitor, o que redundou na extinção do feito sem resolução do mérito, provocando prejuízos aos cofres públicos.

Nas duas ações as acusações foram julgadas como procedentes.

CONFIRA

""

""PB Agora

 


Veja como adquirir a certificação digital para pessoa física sem burocracia

 

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Análise: prefeita do Conde faz pacto com “Drácula” e contrata empresas investigadas pela Calvário

O Calvário é mencionado em todos os quatro evangelhos quando relatam a crucificação de Jesus. Mas não é esse episódio bíblico que vou tecer comentários. O Gólgota em discussão está…

Julian Lemos revela que filhos de Bolsonaro podem inviabilizar o governo

Na entrevista à Jovem Pan, na noite desta segunda-feira, o deputado federal e presidente estadual do PSL-PB Julian Lemos disse que a guerra no PSL é um grande problema para…