Por pbagora.com.br

Em entrevista concedida nesta segunda-feira, 28, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, afirmou que há “infiltração política” na paralisação dos caminhoneiro. Segundo ele, este é o motivo para o atraso no fim da greve dos profissionais mesmo depois de o governo ter fechado acordos com os sindicatos.

O ministro afirmou que a informação de que há pessoas infiltradas foi oferecida pelos próprios caminhoneiros e explicou que a Polícia Rodoviária Federal sabe quem são eles e que deve começar a retirar esses indivíduos.

“A PRF conhece as estradas onde trabalha, conhece quem é líder do movimento caminhoneiro e sabe das infiltrações políticas. Ela está mapeando e não quer cometer nenhuma injustiça. Com muita cautela, vai começar a separar os infiltrados”, declarou Padilha.

Fim da greve

Questionado sobre o fim da greve, Padilha não determinou prazos, mas afirmou que o fim da paralisação não é “um movimento tão rápido quanto gostaríamos”. Atendemos as reivindicações na plenitude. Esperamos também plenitude no compromisso assumido de retomada do transporte na sua normalidade. A velocidade disso não podemos definir. Estamos removendo os óbices”, apontou.

 

Yahoo Notícias
Foto: Fátima Meira/Futura Press

Notícias relacionadas

Galdino quer Avante na vice de João, mas ressalta que escolha cabe ao governador

O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), o deputado Adriano Galdino, afirmou, nesta sexta-feira (14), durante entrevista ao programa Rede Verdade, da TV Arapuan, que o governador João Azevêdo…

Na PB, PSOL aponta prejuízos para servidores com reforma administrativa

O ex-presidente estadual do PSOL, Fabiano Galdino, comentou postura de deputado paraibano contra a PEC 32, que discute a Reforma Administrativa na Câmara dos Deputados. Em seu perfil nas redes…