Por pbagora.com.br

O governo golpista de Honduras deu prazo de dez dias para que o Brasil defina o status do presidente deposto Manuel Zwelaya, que está abrigado na embaixada brasileira, em Tegucigalpa, desde segunda-feira (21) .

Em nota do Ministério interino de Assuntos Exteriores, o governo indica que poderá adotar “medidas adicionais” caso o Brasil não esclareça se Zelaya é asilado, hóspede ou um amigo. “Se não for assim, nós nos veremos obrigados a tomar medidas adicionais conforme o direto internacional”, diz o documento.

O comunicado não menciona que medidas seriam essas. Em entrevista à imprensa brasileira na última sexta-feira (25), o presidente interino Roberto Michelleti já havia demonstrado que a falta de uma definição incomodava as autoridades locais.

Manuel Zelaya foi deposto por um golpe no dia 21 de junho e expulso do país pelo comando militar. Ele retornou a Honduras na última segunda-feira sem o conhecimento do governo golpista e pediu abrigo na Embaixada do Brasil.

Há quase uma semana a embaixada está cercada por militares que proíbem até mesmo o acesso de brasileiros ao prédio.

Agência Brasil

Notícias relacionadas

Reunião com articulador do PTB reforça tese de ida de Nilvan Ferreira para a sigla

O articulador político do PTB no Nordeste, Coronel Meira veio a João Pessoa e se reuniu com políticos da ala bolsonarista na capital paraibana. Na pauta, as articulações para definir…

João e embaixador dos EUA estabelecem parcerias em áreas estratégicas

O governador João Azevêdo e o embaixador dos Estados Unidos da América (EUA) no Brasil, Todd Chapman, assinaram, nesta quinta-feira (13), um memorando de entendimento que tem como objetivo o…