Negando que o consórcio formado por governadores do Nordeste tenha como objetivo direto a objeção ao governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL), o governador da Paraíba, João Azevêdo explicou, durante entrevista à Band News, nesta segunda-feira (29), que o grupo foi formado para permitir o nível de investimento nos estados nordestinos.

Durante reunião em Salvador, os governadores definiram o calendário de ações do consórcio para os próximos meses.

“O consórcio não é para se contrapor a Bolsonaro. Ele existe para permitir que, diante da situação de paralisação do governo federal, a gente possa manter o nível de investimento. O consórcio foi concebido como uma forma moderna de viabilizarmos cada vez mais investimentos para a região”, afirmou Azevêdo.

Azevêdo ainda explicou que uma das pautas tratadas na reunião foram alternativas para suprir a falta de médicos nos estados, por conta da retirada dos profissionais cubanos do programa Mais Médicos.

“A partir do momento que há uma suspensão do Mais Médicos com médicos cubanos, várias áreas dos estados ficaram desprotegidas e descobertas”, pontuou.

Diplomático, Azevêdo afirmou ainda que as declarações polêmicas de Bolsonaro contra ele o governador do Maranhão Flávio Dino, foram superadas.

PB Agora

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

MPF ajuíza ação de improbidade contra prefeito do Sertão

O Ministério Público Federal (MPF) em Patos (PB) ajuizou ação de improbidade contra Aldo Lustosa, prefeito de Imaculada, município localizado no Sertão paraibano; mais oito pessoas (Dineudes Possidônio, Madson Lustosa,…

Bandeira branca: aliado de Romero em CG ‘afaga’ governador

Aliado do prefeito Romero Rodrigues (PSD), e ferrenho opositor do Palácio da Redenção, o vereador Alexandre do Sindicato (PHS), surpreendeu os colegas de bancada e a oposição, ao elogiar a…