Por pbagora.com.br

Entre 2006 e 2008, governadores e prefeitos ampliaram gastos com o funcionalismo público a taxas superiores à inflação.

Enquanto a inflação medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), índice oficial de inflação, ficou em 10,6%, as despesas com funcionários do Executivo aumentaram 25,2% nos Estados e 26% nas prefeituras das capitais

O quadro é percebido nas administrações de governadores e prefeitos que fazem lobby por pacotes de socorro federal e inclui partidos como DEM e PSDB, que atacam a [expansão da folha de pagamentos do governo Lula], de 26,2% nos dois anos.

O governo de São Paulo, sob administração do tucano José Serra, responde por crescimento de 25% da folha paulista até o ano passado. O também tucano governo mineiro, de Aécio Neves, registrou alta de 33,2%. No governo do Distrito Federal, comandado por José Roberto Arruda (DEM), o crescimento bateu 41,9%.

No âmbito das prefeituras, na paulista, comandada por Gilberto Kassab (DEM), os gastos cresceram 29,9%.

As justificativas ficam por conta da recomposição de salários defasados, da ampliação de serviços de saúde, educação e segurança e da valorização dos recursos humanos.

 

Folha

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

VÍDEO: Ney Suassuna faz gesto obsceno ao comentar sobre Maranhão; ele nega

Em vídeo compartilhado na internet, o senador Ney Suassuna aparece fazendo um gesto obsceno ao comentar sobre o senador José Maranhão, que está internado em hospital de São Paulo, tratando…

Leis da ALPB asseguram direitos a paraibanos em prestação de serviços

Quem ficou sem renda, durante a pandemia, sentiu na pele a angústia de ver os boletos chegarem e não ter como arcar com os pagamentos. Já imaginou o desespero de…