Presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba até janeiro de 2023, o deputado estadual Adriano Galdino (PSB), apesar de não querer antecipar o pleito estadual de 2022, não se intimidou e, durante entrevista essa semana, se classificou como preparado para encarar qualquer disputa, incluindo uma eventual embate pelo Senado Federal, mesmo sendo apenas uma vaga ofertada no próximo pleito.

Engenheiro civil e advogado por formação, o parlamentar assegura que sua maior qualificação foi obtida mesmo na universidade da vida, com as pancadas e aprendizados que obteve ao longo de sua trajetória política e é isso que o motiva a encarar novos desafios.

“Preparado eu acho que estou, porque quem me preparou foi a universidade da vida. Eu sou engenheiro civil, sou advogado também, mas a universidade da vida sempre me preparou. Modéstia a parte, eu sempre estou preparado para assumir todo e qualquer cargo público nesse país, porque a vida me ensinou com muita dureza. Eu aprendi sofrendo, eu aprendi na dor. Há quem diga que Deus ensina por dois caminhos, pelo amor e pela dor, e a vida me ensinou pela dor. Deus sempre me olhou pelo lado do amor, mas a vida foi sempre muito perversa comigo. Eu aprendi muito sofrendo e nessa caminhada aprendi muito, e estou preparado”, ressaltou.

Futurologias a parte, o presidente deixou claro que não passa por sua cabeça, nesse momento ser candidato a nenhum cargo, mas tão somente exercer o mandato de deputado estadual e o de presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, funções que lhe satisfazem e o orgulham, por poder trabalhar por uma Paraíba melhor e mais justa para todos.

“Não passa pela minha cabeça agora ser candidato a senador ou deputado federal. Eu estou deputado estadual, presidente da Assembleia com muito orgulho e satisfação e quero dar continuidade a esse mandato. Agora essa questão de ser só uma vaga, eu vou me lembrar daquela história do secretário de Cássio. Eu fui comunicar ao então governador que seria candidato a deputado estadual, eu era ex-prefeito, e tinha um monte de gente lá esperando e começou Laercio Cirne me perguntando o que eu tinha ido fazer ali e eu disse que comunicaria ao homem que seria candidato a deputado estadual. Ele me desmotivou. Disse que era complicado, que eu não tinha voto nem dinheiro e eu disse – difícil é ser secretário de Cássio que é só um, já deputado são 36 vagas. Então esse fato de ser uma vaga ou meia vaga, eu não estou preocupado com isso não. Na vida nada foi fácil para mim, mas eu sempre venci as dificuldades”, arrematou.

As declarações de Adriano Galdino repercutiram no programa Arapuan Verdade.

PB Agora

Total
1
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Aguinaldo destaca força do parlamento na aprovação do Pacote Anticrime

Depois de dez meses de tramitação, o pacote anticrime, do governo federal, foi aprovado pelo plenário da Câmara dos Deputados, na noite dessa quarta-feira (04). Foram 408 votos favoráveis, 9…

Base instável: Bruno cutuca racha no PSB e diz que RC fazia de aliados reféns

Pré-candidato à prefeitura de Campina Grande, o ex-deputado estadual Bruno Cunha Lima (sem partido), que chegou a atuar como líder da oposição ao Governo Ricardo Coutinho na Assembleia Legislativa da…