Quem passa pelo Parque Solon de Lucena depois das 18 horas não tem como não perceber a nova fonte luminosa na Lagoa. Em funcionamento até as 22 horas, a estrutura flutuante com 18 metros de diâmetro atrai a atenção de muita gente. Além da bela imagem proporcionada pelo show das luzes refletidas pela água, foi instalado um sistema de som por todo o anel interno da Lagoa. São 30 caixas sonoras que veiculam um repertório de músicas instrumentais. A fonte foi inaugurada no último dia 29 pelo prefeito de João Pessoa, Luciano Agra.

Segundo Marcelo Cavalcanti, coordenador da Unidade Executora Municipal da Secretaria de Planejamento (Seplan), tanto a nova fonte luminosa como o sistema de caixas musicais funcionam das 18h às 22 horas, todos os dias da semana.

“O horário da noite foi escolhido pois o encontro das luzes com a água proporciona um visual que convida o público a se despedir da tarde, além disso é uma maneira mais agradável de enfrentar o trânsito para aqueles que estão retornando para casa depois de um dia de trabalho”, explicou Marcelo.

A nova fonte luminosa da Lagoa funciona em uma estrutura flutuante acionada por 20 motores bombas que são ligados diariamente as 18h. A fonte também é composta por 277 bicos que impulsionam a água a uma altura de 16 metros e por oito bicos menores que injetam jatos de água com oito metros de altura.

Marcelo Cavalcanti adiantou que a Prefeitura Municipal de João Pessoa está planejando um visual ainda mais inovador para a época natalina. No mês de dezembro, a fonte luminosa da Lagoa vai ganhar refletores coloridos e o sistema de som será sincronizado com os movimentos da água.

 

Secom/JP

Foto: Secom/JP

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Saiba como se dá escolha de candidatos para eleições municipais

Não há eleições ordinárias em 2019, mas a Justiça Eleitoral e os partidos políticos já estão em plena preparação para as Eleições Municipais de 2020. Essa antecipação se justifica pelo…

Vereador alerta para o risco de desabamento de prédio em CG e cobra atuação dos órgãos de fiscalização

Quem nunca se pegou “apreensivo” ao passar perto de uma obra e ter medo de que algo caia lá de cima que atire a primeira pedra. Isso é mais comum…