Por pbagora.com.br

Petista alerta que poderá haver punição aos filiados de CG que forem contra decisão do PT

No começo desta semana o presidente municipal do PT em Campina Grande Peron Japiassú, anunciou que o seu agrupamento iria se rebelar contra a decisão da direção nacional do partido, se posicionando contra aliança entre PT e PMDB na Paraíba.

Na contra mão do discurso defendido pelo presidente estadual da legenda Charliton Machado, Peron, garantiu que os petistas do seu agrupamento só iriam votar na presidente da República Dilma Rousseff (PT), deixando claro, que não iriam subir no palanque para pedir votos para Veneziano Vital do Rêgo e Lucélio Cartaxo.
– A inclusão do PT na chapa Lucélio Cartaxo para concorrer ao Senado não muda nada. Vamos trabalhar apenas pela reeleição da presidente Dilma – anunciou Peron Japiassú.

Um dia após as declarações de Peron, o pré-candidato a deputado estadual pelo PT Hermano Nepomuceno reagiu e defendeu punição para os petistas dissidentes. Ele observou que há uma tendência dentro do partido que deve apoiar a candidatura de Ricardo Coutinho em Campina Grande.

Ele lembrou que existe uma resolução punindo os filiados que não se desvinculassem do governo estadual e do municipal, já que o PT estava pleiteando uma aliança com o PMDB para o governo do Estado. Nepomuceno afirmou que muitos deixaram as administrações, mas outros foram afastados do partido.

– É provável que a formulação de comitês mistos possa dar problemas posteriores por parte da direção estadual para os filiados que forem contra a tendência que estamos colocando, que é o apoio a Venezino – confirmou o petista.

PB Agora

Notícias relacionadas

Vídeo: primeira dama de Cabedelo dá versão após boatos de traição conjugal

Em vídeo-resposta a um ‘Fake News’, divulgado na noite de ontem (19), por meios de grupos de redes sociais, a primeira-dama de Cabedelo, Daniela Ronconi, rebateu a informação sobre uma…

João Azevêdo diz que relação com Ministério da Saúde não é uma deferência ao Governo

O governador da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania), rechaçou qualquer tese de proximidade política com o governo Bolsonaro após o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Medeiros, ressaltar a importância do…