A Paraíba o tempo todo  |

Fiat e Governo de PE também fecham mercado para fornecedoras de peças

Depois que publicamos a notícia aqui, na última segunda-feira, a Paraíba não falou em outro assunto, se não na decisão do Governo do Estado de Pernambuco, em conjunto com a Fiat, de não contratar trabalhadores para a instalação e montagem da fábrica da Fiat em Goiana em estados vizinhos – como a Paraíba. Foi um tormento para o Governo da Paraíba se explicar à opinião pública paraibana.

E o Governo do Estado da Paraíba – leia-se governador Ricardo Coutinho – devia estas explicações porque deu o aval e apoio inconteste para que a Fiat se instasse lá, sob o pífio argumento de que ganharíamos as migalhas, que seriam alguns empregos. Um grande engano que apenas encobriu algo bem mais evidente: alguém saiu ganhando com essa história e não foram os animados e esperançosos trabalhadores paraibanos.

Pois bem. Esta semana o assunto não foi discutido apenas aqui na Paraíba. Em Pernambuco, a imprensa inteira comentou também, achando estranho a Paraíba ter se doído. Claro, por que, para eles, não houve qualquer acordo. Para os pernambucanos, o aval da Paraíba à instalação veio de outra forma.

Lembram da frase divulgada pela imprensa pernambucana, atribuída ao governador de Pernambuco Eduardo Campos, quando da negociação com a Fiat? “Não se preocupem que com a Paraíba e com o Ceará eu me viro”. Foi o aval completo para receber o grande investimento.

Agora, Pernambuco acaba de colocar a famosa ‘pá de cal’ nas pretensões paraibanas. Depois de ter fechado o mercado para as contratações de trabalhadores para a instalação e montagem da fábrica em 13 cidades pernambucanas apenas, o ‘mui amigo’ de Ricardo Coutinho, Sr. Eduardo Campos, governador de Pernambuco, do PSB, toma mais uma decisão, junto com a Fiat: as empresas ‘sistemistas’ também deverão se instalar ÚNICA E EXCLUSIVAMENTE em solo pernambucano.

Empresa sistemista é aquela que se instala próximo ao polo onde fica a chamada ‘empresa mãe’, para a fabricação de componentes que serão utilizados na montagem do produto final. Neste caso, as sistemistas deverão fornecer à Fiat os componentes automotivos necessários à montagem dos veículos produzidos.

Esta semana, em entrevista ao Diário de Pernambuco, o Secretário de Trabalho, Qualificação e Empreendedorismo de Pernambuco, Antônio Carlos Maranhão, comentou a questão da reserva de mercado para os trabalhadores da futura fábrica da Fiat e foi mais além, ao dizer que a reserva também será estendida às sistemistas. “Esses trabalhadores (que estão sendo recrutados) também poderão ser mão de obra para toda a cadeira automotiva, incluindo os chamados sistemistas, que devem se instalar em Pernambuco”.

Em Pernambuco, a área geográfica escolhida para a instalação da Fiat, contratação de mão de obra e implantação das chamadas empresas sistemistas foi delimitada e está sendo considerada um ‘território estratégico’. A jornalista Adriana Guarda, em sua coluna no Jornal do Commercio, disse que a contratação “vai mexer com as expectativas dos 13 municípios escolhidos como território estratégico da montadora”.

Esse ‘território estratégico’ citado pela jornalista é o mesmo, lembra ela, que ocorreu com o Porto de Suape. “Assim como aconteceu nos municípios do Território Estratégico de Suape, deve ter gente dormindo nos locais de seleção para garantir a inscrição. É a oportunidade de garantir uma vaga em um empreendimento que vai mudar a dinâmica econômica de uma região”, disse ela.

Ela disse que a corrida pelos empregos lembra o que aconteceu com o Estaleiro Atlântico Sul, anos atrás, quando longas filas se formaram na porta das Agências de Trabalho. “Dessa vez, a seleção ocorre com antecedência e sob a coordenação da Secretaria de Trabalho, Emprego e Qualificação, criada este ano para planejar, executar e orientar a capacitação e as oportunidades de trabalho no Estado”.

Isso mesmo. O Governo do Estado de Pernambuco, de Eduardo Campos, o ‘mui amigo’ de Ricardo Coutinho, criou uma Secretaria especializada para isso. E nós, aqui na Paraíba, o que fizemos? Vimos apenas um governador e seus auxiliares vendendo uma ilusão, tentando empurrar goela abaixo dos paraibanos a falsa história de que por ser Eduardo Campos amigo de Ricardo Coutinho, do mesmo partido, por ser a Paraíba próxima de Pernambuco, ficaríamos com as migalhas. Engano.

É triste constatar que nosso Governador é tão ruim de promessa que até mesmo a das migalhas oferecidas por Pernambuco ele não conseguiu cumprir.

Soltas…

O Presidente da Fiat, Cledorvino Belini, participou do lançamento oficial do cadastro de trabalhadores para a instalação e montagem da Fábrica de Goiana na última segunda-feira, no Palácio das Princesas, ao lado do Governador Eduardo Campos (PSB). Não se teve notícia de que a Paraíba tenha sido representada.

Após a solenidade, Belini e o Governador Eduardo Campos fizeram um sobrevôo no município de Goiana, na área de 440 hectares onde será instalada a montadora, e nos locais que irão sediar as empresas sistemistas. Nem sinal de terem passado em solo paraibano…

E Pernambuco não para. Esta semana os pernambucanos ganharam uma unidade da Jaraguá Empreendimentos, fornecedora dos setores de óleo e gás, petroquímico e naval, que inaugurou fábrica em Suape, captada através do projeto Suape Global. Será que temos um projeto similar na Paraíba, para captação de empreendimentos como este? Acorda, cara pálida.

Tem mais. Esta semana, também, o Governo do Estado de Pernambuco anunciou investimento de US$ 25 milhões num centro logístico da montadora chinesa de caminhões Shacman no Porto de Recife. Pense num estado tão perto mas que parece estar há anos luz de distância da Paraíba.

É bom lembrar que Pernambuco continua trabalhando, caladinho, vendendo o aval da Paraíba e do Ceará, para garantir a instalação de montadora da Volkswagen em solo pernambucano também. Terei novidades sobre este assunto durante a semana…

Chega a Campina Grande às 13h30 desta segunda-feira uma comitiva de técnicos do DECEA – Departamento de Controle do Espaço Aéreo, órgão do Ministério da Defesa, para a elaboração do plano de instalação do equipamento ILS no Aeroporto João Suassuna.

Há anos Campina tenta este equipamento que, só agora, depois de termos um paraibano ocupando posto de destaque em Brasília, conseguimos: Vital do Rêgo aproveitou a oportunidade de estar como presidente da mais poderosa comissão do Congresso Nacional, a Comissão Mista de Orçamento, com o poder de decidir o Orçamento do Ministério da Defesa, e galgou mais esta.

Não é à toa que o nome de Vital do Rêgo tem aparecido nacionalmente como um dos fortes candidatos à Presidência do Senado. Articulado, Vital poderá surpreender, mais uma vez, em 2012, como surpreendeu no seu primeiro ano de mandato como Senador.

Não pegou bem a Romero Rodrigues e Rômulo Gouveia terem dado declarações à imprensa paraibana desqualificando o Plano de Cargos da Saúde implantado pela gestão Veneziano em Campina. Os mais de 2.600 servidores beneficiados estranharam. Coube ao Gari Martins da Glória uma sensata constatação: “o plano precisa de ajustes, mas ser contra é loucura”.

Não é demais lembrar aos políticos que, para a Igreja Católica, estamos no Tempo do Advento, que é um tempo de preparação para a celebração da vinda de Jesus ao mundo. É um tempo de muita reflexão sobre o papel de cada um de nós aqui nesta vida.

PUBLICIDADE

    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe