Por Wellington Farias

Não se sabe se o vereador Lucas de Brito compõe a lista dos nomes da simpatia pessoal de Luciano Cartaxo para disputar a sua sucessão na Prefeitura de João Pessoa. Mas, de todos os até agora mencionados como possíveis prefeituráveis a receberem a chancela do prefeito, este se apresenta com o de melhor perfil.

Neto de Joacil de Brito Pereira, Lucas esta semana colocou o seu nome à disposição do PV, partido dele e de Cartaxo, disposto a concorrer à Prefeitura de João Pessoa.

É um político de perfil conservador (bem ao gosto atual) e de preparo intelectual muito acima dos padrões dos “cacarecos” até agora mencionados, com as honrosas exceções, é claro.

De tradicional família política, além de ser um dos mais preparados vereadores que compõem a Câmara Municipal de João Pessoa, Lucas pelo menos não tem traço de aventureiro e oportunista que, em meio à crise de nomes com densidade eleitoral, tentam se impor numa disputa não muito fácil numa cidade de eleitorado reconhecidamente crítico e criterioso.

João Pessoa já cometeu a insanidade de eleger aventureiros e “cacarecos” para a Câmera Municipal, mas nunca para a Prefeitura.

Exceção
Houve o histórico caso de Domingos de Mendonça Neto, que não era exatamente um “cacareco” político, mas uma pessoa de tradicional família da política pessoense. Mas foi, de certa forma, um aventureiro que soube muito bem aproveitar a chance que a ocasião lhe oferecia: aliados seus se acovardaram e não quiseram enfrentar o aparentemente imbatível Robson Espínola, candidato escolhido pelo então governador Pedro Gondim.

Ninguém, no campo da oposição, teve a coragem de enfrentar Robson. Pedro era uma liderança forte demais e, imaginava a oposição, não existia nome para derrotar o seu candidato a prefeito de João Pessoa.

Tô dentro
Domingos de Mendonça Neto, tio do conceituadíssimo advogado Delosmar Mendonça, não se fez de rogado e, numa reunião de partido, quando todos se acovardaram, ele levantou o dedo e lançou-se: “Já que ninguém topa, eu topo”.

Ninguém acreditava que Domingos lograria êxito na empreitada eleitoral. Que nada! Caiu na graça do povo. No dia da eleição um slogan popular tomou conta de João Pessoa: “Hoje é domingo, vote em Domingos”.

Não deu outra: o desacreditado Domingos de Mendonça Neto derrotou Robson Espínola, que parecia imbatível.

Rádio
De forma elegante, o grande repórter Henrique Lima se despediu do Sistema Correio de Comunicação.

Não existe ser insubstituível, mas também não se acha em qualquer esquina um jornalista com o faro e perspicácia do @blogdoninjapb.

Deixou uma enorme lacuna no imbatível Correio Debate.

 

Wellington Farias
PB Agora

Por Wellington Farias

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Análise: governador João Azevêdo ‘mata dois coelhos com uma só cajadada’ e amplia protagonismo para 2022

Não demorou muito para que o governador da Paraíba, João Azevêdo (Cidadania), passasse da qualidade de quadro técnico, para o de agente político, com estratégia, perspicácia e expertise para jogar…

Por conta da idade, Maranhão seguirá internado na Unimed para tratar da Covid

O senador José Maranhão, do MDB, seguirá internado em um apartamento do Hospital da Unimed, em João Pessoa, para tratar da Covid-19.  O parlamentar testou positivo para a doença na…