O Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) deve hoje, 11, a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI), impetrada pelo prefeito municipal de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV), que visa tornar inconstitucional a Lei Municipal Nº 12.069/2011, que assegura aos usuários dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), o direito ao Passe Livre nos transportes coletivos da cidade de João Pessoa. Para Ludmila Correia, professora da UFPB e coordenadora do grupo de pesquisa e extensão, a ação é extremante equivocada.

A lei foi proposta na Câmara de Campina pelo ex-vereador, Bira Pereira, que hoje ocupa a Secretaria de Transparência Pública do município e sancionada pelo então prefeito, Luciano Agra, é considerada um marco importante na luta das pessoas com transtornos mentais.

O Grupo de Pesquisa e Extensão da Universidade Federal da Paraíba é uma das entidades que defendem a manutenção do benefício. “Entendemos que o pedido do prefeito de João Pessoa, ao ajuizar esta ação, é extremamente equivocado e inconcebível. A Lei Municipal N° 12.069/2011 que institui o Passe Livre no transporte coletivo urbano para pessoas com transtornos mentais além de constitucional é extremamente necessária, tendo em vista que ela prevê o direito à gratuidade do transporte coletivo para essas pessoas, para que possam acessar os serviços de saúde disponíveis na cidade, visando a atenção e cuidado em saúde mental” ressaltou Ludmila Correia, professora da UFPB e coordenadora do grupo de pesquisa e extensão.

 

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Presidente do PT-PB destaca que dentro do grupo de Romero em Campina está havendo uma “guerra das oligarquias”

Por meio das suas redes sociais o presidente estadual do PT-PB Jackson Macedo voltou ontem (09), a usar uma matéria do portal, para expressar seu lamentos sobre o que estipulou…

Vereador cobra revisão participativa no Plano Diretor de Campina Grande

O vereador Olimpio Oliveira conseguiu na última terça-feira (07), na Câmara Municipal de Campina Grande (CMCG), a aprovação do requerimento n° 1.170/2020 que requer a formalização do processo de reforma…