Por pbagora.com.br

‘Lugar de criança é na escola, praticando esportes e em atividades culturais e de lazer’. Com este objetivo, a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por meio da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), lançou, na última terça-feira (11), uma vasta a programação alusiva ao Dia Mundial Contra o Trabalho Infantil, porém dados da própria pasta revelam que a realidade das crianças ou adolescentes vítimas de trabalho infantil ainda é uma dura realidade pelas ruas da capital.

 

Dados da Sedes, trazem que em 2018, em média três crianças ou adolescentes foram flagradas trabalhando nas ruas de João Pessoa por mês. São crianças que deveriam estar na escola, mas trocaram livros, lápis e cadernos por um carro de mão, uma caixa de doces, água e sabão para limpar para-brisas nos semáforos.

 

Somente este ano de 2019, de janeiro a março, três casos foram identificados. Na última quarta-feira, 12 de junho, foi lembrado o Dia Mundial Contra o Trabalho Infantil, mas, infelizmente, crianças e adolescentes continuam atuando em diversas atividades em feiras livres, realizando fretes, trabalhando como flanelinhas pela capital.

 

Dados do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti), em João Pessoa, aponta que a maioria dos menores encontrados em situação de trabalho moram em bairros como Mandacaru e Mangabeira.

 

 

Redação


Garanta um desconto especial na sua certificação digital no Juristas Certificados Digitais

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Reuniões, gravação para o guia e visitas marcam a agenda dos candidatos a prefeito de João Pessoa

Reuniões, gravação para o guia eleitoral e visitas de campanha marcam a agenda dos candidatos a prefeito de João Pessoa nesta quinta-feira (1º). Confira as agendas: Anísio Maia (PT) Continue…

Opinião: a eleição em João Pessoa e o tom do ‘eu sei o que vocês fizeram no verão passado’

“Em uma pequena cidade costeira, quatro adolescentes atropelam e supostamente matam um desconhecido. Com medo das consequências deste acidente, decidem se livrar do corpo e o jogam no mar. A…