A reportagem do PB Agora entrou em contato com a professora Joelí Cruz – citada como palestrante em um suposto ‘evento fake’ patrocinado por vereadores de Santa Rita – e recebeu uma nota de esclarecimento da docente negando qualquer tipo de participação no esquema que ficou conhecido na Paraíba como ‘farra das diárias’.

Na tentativa de esclarecer informações relacionadas a denúncia, a professora garantiu não ter feito contrato algum com vereadores paraibanos e garante que todo o evento foi registrado em fotografias.

Na operação denominada “Operação Luz”, onze vereadores foram presos pelo Gaeco e pela Delegacia de Repressão ao Crime Organizado e Combate a Corrupção da Paraíba acusados de fingir participação em um seminário apenas para ‘turistar’ na cidade gaúcha.

Confira nota da professora Joelí Cruz na íntegra:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A Palestrante Joelí Cruz ( Professora, Especialista em Direito Público e Coach Profissional) vem a público esclarecer que, não houve qualquer irregularidade em sua participação como palestrante nos eventos que estão sendo citados na imprensa.

Tanto o evento de Juazeiro do Norte-CE, quanto o evento de Gramado, aconteceram respectivamente.

Como palestrante, Joelí Cruz foi contratada dos dias específico das palestras, sendo assim não têm a obrigação de participar dos dias de credenciamento e entrega de certificados, pois é de responsabilidade da organização, foi possível conciliar a participação nos dois eventos.

Joeli cita ainda que, que os participantes inscritos estavam presentes nos horários  previstos (das 9 às 13hs). Todo o evento foi registrado com fotos e vídeos.

Att.

Joelí dos Santos Cruz,

Entenda o Caso:
Onze vereadores são presos suspeitos de forjarem congresso em Gramado

Em nota (no fim deste texto), a especialista em Direito Público fez questão de ressaltar que não houve qualquer irregularidade em sua participação e que todo o processo de contratação foi feito com a empresa ICAP.

Joelí Cruz, em conversa com o PB Agora, declarou ainda que esteve presente nas datas (1 a 3 de novembro) e nos horários para os quais foi contratada, no entanto “não tem obrigação de participar dos dias de credenciamento e entrega de certificados”, 31 de outubro e 4 de novembro, respectivamente.

A professora afirmou que não chegou a ser procurada por autoridades paraibanas, mas que já está adotando medidas relacionadas a possibilidade do uso indevido de seu nome e imagem.

Os vereadores Anésio Miranda (presidente da Câmara), Brunno Inocêncio, Carlos Antônio, Diocélio Ribeiro, Francisco Medeiros, Francisco Queiroga, Ivonete Barros, Marcos Farias, Roseli Diniz, Sergio Roberto e o contador Fabio Cosme foram detidos ao retornarem do evento denominado “Compliance na Administração Pública”, que se refere à lei anticorrupção.

 

 

 

PB Agora

 

Total
1
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Governador se reúne com empresários chineses e governadores do NE nesta terça

O governador João Azevêdo (PSB) participa de uma série de agendas, nesta terça-feira (12), em Brasília. Dentre os compromissos do gestor estão reuniões com empresários chineses e entrevista a uma…

RC: “A soltura de Lula fortalece a luta contra a destruição de tudo que se tem feito neste País”

Em entrevista concedida ao jornalista Luís Nassif, para a TV GGN, como parte da série sobre os desdobramentos da saída de Lula e a nova oposição, o ex-governador da Paraíba,…