Eliza Virgínia volta a CMJP em meio à ameaça de perder mandato; vereadora dá pistas de que não acredita em processo de cassação pelo PPS

A vereadora de João Pessoa, Eliza Virginia (PPS), em entrevista ao Portal PB Agora disse que ainda não recebeu nenhuma notificação oficial de seu partido informando que vai abrir um processo pedindo sua cassação por infidelidade. Eliza volta a ocupar sua cadeira na Câmara na próxima segunda-feira (6).

“Não recebi até agora nenhum comunicado desse processo. Só vou me manifestar a respeito do caso no momento em que receber uma notificação oficial informando sobre o pedido de cassação. Quero saber qual a origem do documento se partiu da esfera estadual ou municipal do partido”.

O presidente estadual do PPS, José Bernardino, informou que o processo terá início esta semana e a parlamentar terá um prazo de oito dias para apresentar sua defesa. Após esse período o Conselho de Ética do PPS emitirá o parecer sobre o caso.

Eliza será processada por infidelidade e pode ser cassada por que não seguiu as determinações do PPS nas eleições deste ano e resolveu apoiar à reeleição do governador José Maranhão (PMDB). Contrariando a legenda que apoiou Ricardo Coutinho (PSB).

Bernardino explicou que os filiados estão incomodados por perceber que a parlamentar não respeitou as determinações e não foi punida. “O pior de tudo: sem dar a menor justificativa”, comentou o presidente estadual, e acrescentou que o problema não está apenas no descumprimento, mas por se tratar de uma vereadora da Capital, o que gera repercussão negativa ainda maior.

A vereadora retorna a Câmara de João Pessoa na próxima segunda-feira (6) após encerrar sua licença. A cadeira de Eliza foi ocupada pelo suplente doutor Welando (PPS). O afastamento ocorreu em virtude da campanha de reeeleição do seu pai, deputado estadual Nivaldo Manoel (PPS).

 

PB Agora

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Sem mandato, Cássio garante que continuará colaborando com a Paraíba e classifica como remota tese de disputar PMCG

Sem mandato há seis meses, o ex governador e ex senador Cássio Cunha Lima (PSDB), praticamente afastou a possibilidade de disputar a prefeitura de Campina Grande nas eleições do próximo…

MPF ajuíza ação de improbidade contra prefeito do Sertão

O Ministério Público Federal (MPF) em Patos (PB) ajuizou ação de improbidade contra Aldo Lustosa, prefeito de Imaculada, município localizado no Sertão paraibano; mais oito pessoas (Dineudes Possidônio, Madson Lustosa,…