A deputada estadual Eliza Virgínia (PSDB) explicou, nesta quinta-feira (21), sobre a polêmica em torno da ‘cura gay’. “Esse termo foi criado pela militância LGBT, não existe cura para o que não é doença. Isso é comportamento, e muitos precisam de ajuda profissional para se decidirem”, disse a tucana.

“Essa foi uma decisão certíssima, pois as pessoas precisam ter essa liberdade de escolher se querem buscar um psicólogo para buscar orientação sexual e do profissional em poder atender o cliente”, disse.

A parlamentar faz criticas aos que afirmam que esta decisão judicial tratou a homossexualidade como doença ou que foi instalada como ‘cura gay’. “É desonesto quem entendeu e sabe que não é nada disso”, contou.

A decisão da liminar é do Juiz federal da 14ª Vara do Distrito Federal Waldemar Cláudio de Carvalho, que permite que psicólogos ofereçam a terapia sobre sexualidade. O tratamento era proibido pelo Conselho Federal de Psicologia desde 1999.

No dispositivo é possível perceber que a determinação judicial consiste apenas em determinar ao Conselho Federal de Psicologia que não a interprete (a Resolução nº 01/1999) de modo a impedir psicólogos de promoverem estudos ou atendimento profissional, de forma reservada, pertinente à (re)orientação sexual, garantindo-lhes, assim, a plena liberdade científica acerca da matéria, sem qualquer censura ou necessidade de licença prévia.

Assessoria

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Contra a privatização, deputado quer permanência da Cagepa em Campina Grande

O deputado estadual Inácio Falcão (PC do B) participou de uma reunião nesta segunda-feira (20) para discutir a proposta de licitação para repasse da concessão dos serviços de água e…

Julian Lemos e Carlos Bolsonaro voltam a se agredir nas redes sociais

Em mais um dia de agressões mútuas o deputado federal paraibano e presidente estadual do PSL Julian Lemos, voltou a rebater declarações supostamente ácidas do vereador do Rio de Janeiro…