O deputado federal Efraim Filho (DEM/PB) foi apontado pelo Jornal Correio Brasiliense como principal articulador da Reforma Tributária. Este destaque se dá em função do trabalho do deputado chamando para o debate empresários e políticos.

A matéria do Correio ressalta a liderança de Efraim dizendo que:

Os líderes empresariais estão se posicionando como mediadores entre o governo e o Congresso, mantendo uma relação próxima do secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, e do deputado federal Efraim Filho (DEM-PB), presidente da Frente Parlamentar do Comércio, Serviços e Empreendedorismo. “Efraim tem ligação próxima com (Rodrigo) Maia (presidente da Câmara) e vai ouvir a voz dos empresários. E o Marinho está trabalhando para amarrar as contas. Esperamos que dê certo”, sustenta o presidente de uma das entidades da Unecs, George Pinheiro.

Em outro trecho diz o seguinte:

Outro movimento convergente ao construído entre Marinho, Efraim e os empresários, está sendo capitaneado pela Frente Parlamentar da Reforma Tributária. A bancada vai apresentar na próxima quarta, 14, na Câmara, uma quinta PEC. No entanto, a promessa não é de pulverizar mais o debate, mas aglomerar os melhores pontos entre as outras quatro matérias…”.

Para o deputado Efraim “há várias linhas de pensamento sobre a Reforma Tributária e apresentação de uma proposta contendo os pontos importantes seria bom e facilitaria as negociações, inclusive com a oposição”. Mas, na avaliação de Efraim, o objetivo de todas as propostas é um só; “diminuir a tributação para que o país volte a crescer”.

Efraim Filho acrescentou ainda que as propostas apresentadas levam em consideração a recuperação tributária; restauração e observância do princípio da não cumulatividade, pois prevê a ampla e imediata dedução dos créditos; simplificar e uniformizar as alíquotas e eliminar as isenções e privilégios tributários concedidos de forma contrária à lei.

“Não há dúvida de que uma boa reforma tributária deve ser global, contemplando todo o sistema, tanto do ponto de vista racional quanto democrático. Neste sentido é salutar examinar alguns dados para não ferir a Constituição.

Total
0
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

“Não aceito essa intervenção no PSB”, dispara João Azevêdo

“Não aceito essa intervenção. Não aceito o presidente dissolver o diretório e depois ligar para mim para uma conversa”. A declaração foi dada nesta segunda-feira (19) pelo governador João Azevêdo…

Rosas tem maioria, mas não vai recorrer de intervenção: “Fiquem com o PSB”

O presidente do PSB na Paraíba, Edvaldo Rosas, disse que embora tenha apoio da maioria dos diretorianos, além de deputados, prefeitos e vereadores para continuar na presidência, não vai recorrer…