A Paraíba o tempo todo  |

“É um tiro no pé”, alerta Nilvan sobre possibilidade de Romero sentar para conversar com Lula

Em entrevista ao PB Agora, nesta sexta-feira (27), o presidente estadual do PTB/PB, jornalista Nilvan Ferreira, classificou como ‘um tiro no pé’, as declarações do ex-prefeito e pré-candidato ao Governo da Paraíba, Romero Rodrigues (PSD) de que estaria aberto a conversar com quem quer que seja, inclusive o ex-presidente e pré-candidato a presidência da Republica Luiz Inácio Lula da Silva do PT. Nilvan destaca que petista já tem palanques definidos no estado e não é com a direita.

“Eu já deixei claro essa posição do PTB, sobre esse assunto. O PTB não sobe num palanque onde tenha a possibilidade de ter gente da esquerda, pois é a turma que defende o Lula. Então quando alguém diz eu aceito conversar com o Lula, para mim é um tiro no pé! Pois Lula já tem um candidato na Paraíba, que ou vai ser João Azevêdo, Ricardo Coutinho, Luciano Cartaxo ou Veneziano Vital, não tem probabilidade do Lula apoiar um candidato que seja apoiado pela direita. É um risco o que você tem (Romero) de atirar para os dois lados! Eu sou muito claro nas minhas decisões, o PTB não dialoga com a esquerda”, disse Nilvan.

Escute:

Ontem, em evento realizado na CMCG, Romero deixou claro que não teria problemas em conversar com quem quer que fosse.

“Estamos abertos a conversar com quem quer que seja, isso não significa dizer que vamos seguir ou apoiar. Não sou brigado com quem quer que seja”, disse o ex-prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSD), quando questionado da possibilidade de conversar com o ex-presidente Lula (PT). “O presidente do meu partido, Gilberto Kassab, tem conversado com os presidentes de todas as legendas e eu acho que na política, embora eu deixe claro que não falo em questão de apoio, é muita arrogância e presunção se negar a conversar”.

O ex-prefeito enfatizou ainda sua vontade de ser governador da Paraíba e destacou que um governador não pode estar brigando com qualquer presidente da República. “Se eu for governador e, eventualmente, Lula for presidente, eu vou bater na porta dele e pedir pela Paraíba, se Bolsonaro for reeleito da mesma forma […] Não podemos ficar pensando nessa polarização radical, porque só traz atraso e sequelas para a população, e estou fora disso”, comentou Romero.

PB Agora

PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      5
      Compartilhe