CASO LAGOA: documentos põem em xeque transparência da gestão Luciano Cartaxo

 

O inquérito da Polícia Federal que investiga as obras da Lagoa, do Parque Solon de Lucena, na gestão do prefeito Luciano Cartaxo (PSD), em João Pessoa, Capital da Paraíba, trazem documentos que põem em xeque a transparência alardeada pela gestão municipal, sobretudo pela descoberta de supostas cartas marcadas, na obra que já virou um escândalo no Estado.

A ‘novidade’ veio após a divulgação de um atestado de Certificação Técnica de Engenharia emitido pela empresa Fortaleza, Peixes e Crustáceos Ltda.

Essa empresa, reponsável por repassar o atestado à Compecc, seria fantasma.

Foi com esse atestado que a Compecc, empresa encarregada de demolir e construir o muro ao redor da Lagoa do Parque Solon de Lucena, além do túnel, o mesmo que acabou brotando peixes depois que estourou durante a obra, conseguiu aval para executar o serviço.

 

Ninguém sabe a relação que tem uma empresa com razão social “peixes e crustáceos” com a construção do muro e do túnel que teria que ser construído na obra da Lagoa.

 

Ainda consta no relatório do inquérito que a Empresa Fortaleza, Peixes e Crustáceos Ltda, que tinha, quando existia, endereço em Santa Rita, pertencia aos mesmos sócios proprietários da Compecc, empresa que ganhou a licitação da obra da Lagoa.

 

OS DOCUMENTOS ABAIXO COMPROVAM

 

 

 

PB Agora

Imagens/ reprodução: ParaibaJá

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Opinião – Depois da pandemia virá a mais difícil tarefa para os governantes: o ressurgir das cinzas

A tarefa prevista para os chefes de Executivo, em todos os níveis, para o pós-pandemia, não é missão para qualquer um. Principalmente no tocante aos governadores de Estado. Ao final…

Sogro e genro são mortos a tiros durante discussão em Bayeux

No final da manhã desta quarta-feira (27), dois homens foram assassinado com vários tiros, na comunidade conhecida como “Matadouro”, no bairro do Sesi, em Bayeux. De acordo com informações policiais,…