Um termo de declaração assinado pelo promotor de Justiça Octávio Paulo Neto, coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) na Paraíba, foi o documento utilizado pelo Governo do Estado para desmentir informação republicada pelo deputado estadual Walber Virgolino (Patriotas) sobre a aquisição de equipamentos por parte da Secretária de Saúde.

A declaração assinada pelo coordenador do Gaeco contradiz a informação inicialmente divulgada por um blog de João Pessoa e reproduzida pelo deputado Walber nas suas redes sociais, de que o Governo do Estado teria se utilizado do decreto de calamidade por conta do coronavírus, para comprar equipamentos de saúde, sem licitação, a uma empresa envolvida na operação Calvário.

Circulou nas redes sociais imagens de Walber Virgulino (Patriotas), que também é delegado da Polícia Civil na Paraíba, como um dos maiores propagadores de fake news contra o Governo João Azevêdo no Estado. Walber é um apoiador incondicional do atual governo federal, e uma espécie de expoente do bolsonarismo na Paraíba.

Confira a imagem que circula pelas redes sociais:


Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

No Senado, Veneziano já conseguiu recursos para 193 municípios

Em menos de um ano e três meses de mandato no Senado Federal, representado a Paraíba, o senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB) já conseguiu viabilizar recursos para 193, dos…

Opinião: Bolsonaro desrespeita a “tradicional família” e choca a Pátria Amada com linguajar de manichula

Quem assistiu ao vídeo sobre a excêntrica reunião ministerial presidida por Jair Bolsonaro ficou estarrecido. Não havia como não ficar indignado e tomado por um sentimento deprimente de vergonha alheia.…