A Paraíba o tempo todo  |

Distrito Federal reduz bloqueio na Esplanada no 3º dia de votação final do impeachment

PUBLICIDADE

O governo do Distrito Federal reduziu o perímetro de interdição na área central de Brasília nesta quarta-feira (31) para o último dia de sessão no Senado que decide sobre o impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff. O bloqueio segue nas vias N1 e S1 do Eixo Monumental, mas no trecho entre a Catedral e o Congresso Nacional – nos dias anteriores, a intervenção começava na Rodoviária do Plano Piloto, 650 metros mais distante. Dilma será definitivamente afastada se receber pelo menos 54 votos contrários entre os 81 senadores.

 

Durante a sessão, o GDF espera que um público entre 20 mil e 30 mil pessoas compareça à Esplanada. Um “muro” foi instalado na região para separar manifestantes contrários e a favor do afastamento.

As interdições começaram à 0h. Às 6h40, o bloqueio ainda não causava reflexos no trânsito. Na segunda (28), quando as interdições também foram aplicadas, motoristas chegaram a enfrentar fila de até cinco quilômetros de extensão na via S1. Servidores que trabalham na região da Esplanada tiveram de deixar os carros nos anexos para acessar a região. No dia seguinte, houve menos congestionamentos.

“A todo instante nós estaremos monitorando a real possibilidade de manter esse trânsito interditado, visando sempre a garantia da incolumidade das pessoas que estarão nesse local”, afirma o secretário-adjunto de Segurança do DF, Márcio Pereira da Silva para a Rádio Senado.
Nos outros dias, o bloqueio do trânsito começava perto da rodoviária do Plano Piloto. A área interditada foi reduzida para dar mais fluxo ao tráfego de carros.

 

O governo do DF não instalou telões para o público, a exemplo do que aconteceu nas votações do primeiro semestre. O muro deve ser desmontado em até 48 horas após o fim do julgamento.

 

O efetivo empregado na segurança da cidade será de 1.332 policiais na terça-feira. No dia posterior ao término do processo, 290 militares ainda farão a segurança da Esplanada dos Ministérios.

Além da Polícia Militar, um efetivo de cem bombeiros e cem agentes de trânsito será empregados todos os dias. A 5ª Delegacia de Polícia, que cuida da área central, também terá reforço.
“Tenho plena confiança na capacidade investigativa da Policia Civil. Em nenhum momento deixamos de contar com a Polícia Civil, tivemos todos os procedimentos assegurados. Brasília continua segura como sempre foi”, disse.

 

A disposição dos manifestantes na Esplanada dos Ministérios é a mesma utilizada durante a votação da Câmara dos Deputados, que ocorreu no dia 17 de abril. O grupo a favor do impedimento definitivo de Dilma fica no lado da cúpula do Senado (do lado norte da Esplanada dos Ministérios); o contrário, fica do lado da Câmara dos Deputados (lado sul). A divisão dos manifestantes é feita a partir da rodoviária do Plano Piloto.

 

G1

PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe