O ex-ministro José Dirceu desistiu de trabalhar no hotel Saint Peter, do empresário Paulo Abreu, de Brasília.

De acordo com seu advogado, José Luis Oliveira Lima, a decisão foi tomada devido ao "linchamento midiático instalado" contra o petista e "a empresa que lhe ofereceu trabalho".

"Trata-se de decisão tomada com o objetivo de diminuir o sofrimento dos empresários que lhe fizeram a oferta e das centenas de funcionários que trabalham no grupo", afirma Oliveira Lima em nota.

O ex-ministro pediu autorização para trabalhar no hotel durante o cumprimento da sua pena no regime semiaberto, em que é possível obter permissão para trabalhar fora da prisão durante o dia. Dirceu havia sido oferecido um emprego como gerente do hotel, com remuneração de R$ 20 mil. Esta semana, porém, o "Jornal Nacional" noticiou que a empresa que administra o Saint Peter tem sede em um paraíso fiscal e está registrada no nome de um laranja.

O advogado afirma ainda que o grupo no qual Dirceu trabalharia, caso autorizado pela Justiça, passou a ficar sujeito "aos efeitos corrosivos de uma cobertura marcada pela irracionalidade e pelo espírito de justiçamento, não de justiça".

Dirceu não consideraria "justo" que "outras pessoas, transformadas em alvo de ódio e perseguição exclusivamente por um gesto de generosidade", sofressem consequências por ter lhe oferecido trabalho.

 

 

Folha

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Pós-janela partidária, sete partidos ficaram sem representação na CMJP

Com o fim da janela partidária, a Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) registrou a ‘mudança de endereço’ e sete partidos que antes tinham de médias a grandes representações, basicamente…

Ruy Carneiro defende uso do fundo eleitoral no combate ao coronavírus

Depois de votar contra a criação do Fundo Eleitoral e Partidário, o deputado federal paraibano Ruy Carneiro defendeu nesta quinta-feira (9) a decisão da Justiça Federal de bloquear a liberação…