Pensamentos antagônicos. A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) por 6 x 5, de derrubar a possibilidade de prisão de condenados em segunda instância, alterando um entendimento adotado desde 2016, agradou alguns políticos e desagradou outros.

O deputado federal paraibano Julian Lemos (PSL), foi um dos que ficaram contrariados com a decisão. Em entrevista ele disse que a decisão pode ser vista por dois ângulos, mas considerou o dia de conclusão do polêmico julgamento, “triste” para a Justiça brasileira.

“Existe ali dois resultados: um positivo e um negativo. O positivo vai para os criminosos de colarinho branco, porque todo esse trabalho, esse lenga lenga, não foi para favorecer o ladrão de galinha, o cara que está preso injustamente, ou o que poderia ir ainda para as instâncias superiores para mostrar sua inocência. Não é para isso” comentou.

Em tom de ironia, Julian Lemos disse que a decisão, favorece os ricos de colarinho branco, disse que a sessão do STF foi realizada em um “grande dia para favorecer a impunidade”

“Isso na realidade é para favorecer os ricos de colarinho branco, políticos. Isso é um grande dia para a impunidade e um triste dia para justiça. Isso já vem sendo feito em quatro mãos há muito tempo” lamentou.

Como brasileiro, Julian Lemos disse que independentemente de ser deputado, “ficou decepcionado e frustrado com o resultado de ontem. A úncia intenção dos ministros do STF que votaram contra a prisão, segundo o parlamentar, “é favorecer o ex-presidente Lula que deve ser solto a qualquer momento”.

Já o deputado federal Gerávio Maia (PSB), elogiou a decisão do STF, mas disse que a Corte demorou em revisitar o tema. Maia voltou a criticar a condenação do ex-presidente Lula, e disse que o petista foi vítima de perseguição política.

“A gente tem que lutar sempre pela preservação do estado democrático de direito, independentemente de casos a,b ou c. O caso de Lula é um entre tantos. A preservação do estado democrático de direito é algo que deve ser defendida por todos os brasileiros. Eu esperava que o Supremo tivesse agido com mais celeridade nesse tema. Mais emfim, ontem, o Supremo encaminhou dessa forma e agiu corretamente” comentou o socialista.

SL
PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

“PB tem uma das menores taxas de transmissibilidade”, diz líder ao defender prorrogação do isolamento

Em entrevista a imprensa o líder do governo na Assembleia Legislativa da Paraíba ALPB, deputado Ricardo Barbosa (PSB), fez uma avaliação sobre as medidas adotadas pelo governador João Azevêdo (Cidadania)…

Eduardo cobra resposta sobre Plano de Retomada de Negócios e sugestões emergências

O deputado estadual e presidente da Frente Parlamentar de Empreendedorismo e Desenvolvimento Econômico da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), Eduardo Carneiro (PRTB), cobrou uma resposta do Governo do Estado sobre…