Defesa de Wilson Santiago descarta relação do parlamentar com fatos apontados na Operação Pés de Barro

Alvo de mandado de busca e apreensão na manhã deste sábado (21), o deputado federal Wilson Filho, de acordo com determinação do ministro Celso de Melo, do Supremo Tribunal Federal (STF), foi afastado de seu cargo.

A Polícia Federal, responsável pela Operação Pés de Barro, também prendeu dois assessores do parlamentar. Foram alvos de mandados de prisão Evani Ramalho e Israel Nunes de Lima.

Segundo a defesa do deputado Wilson Santiago, o parlamentar encontra-se tranquilo e, em breve, apresentará à autoridades que não possui relação alguma com os fatos investigados pela PF.

Em nota, o parlamentar ressalta estar surpreso com a operação realizada pela Polícia Federal e garante que tomará “medidas cabíveis para que a verdade venha à tona”. A defesa do parlamentar desta ainda que a operação seria oriunda da delação do empresário George Ramalho, o qual foi preso em abril de 2019 na Operação Feudo.

Leia também:
Operação da PF faz buscas em endereços de deputado federal paraibano e STF afasta parlamentar do cargo

Veja nota do deputado federal Wilson Santiago na íntegra:

Na manhã de hoje fomos surpreendidos por Operação da Polícia Federal. A operação em questão foi baseada na delação do empresário George Ramalho, o qual foi preso em abril de 2019 na Operação Feudo.

Segundo as informações preliminares, o delator iniciou no segundo semestre de 2019 a construção de um roteiro, que servisse como base para acordo que lhe favorecesse na operação que foi alvo de prisão. O delator busca a todo momento, construir relações que possam nos implicar de forma pessoal e criminalizar o trabalho parlamentar.

Fica evidente, que o delator usa um princípio jurídico que veio para ser um instrumento de promoção de justiça, como artifício para favorecimento pessoal e evitar condenação na Operação Feudo. Temos certeza que esse tipo ação criminosa será coibida. Não podemos aceitar que a ação política fique refém dessas práticas. Dessa forma, tomaremos as medidas cabíveis para que a verdade venha à tona, com o esclarecimento das questões objeto da investigação e nossos direitos sejam restabelecidos. Estamos à disposição da Justiça para colaborar em todo o processo.

Wilson Santiago
Deputado Federal

Operação Pés de Barro

Na manhã deste sábado (21), a Polícia Federal foi às ruas em mais uma operação, a segunda realizada esta semana. Os agentes, segundo informações, cumpriram mandados de prisão e de busca e apreensão.

O ministro Celso de Melo também determinou a prisão do prefeito de Uiraúna João Bosco Nonato Fernandes e de seu motorista Severino Batista do Nascimento Neto.

Os agentes da Polícia Federal cumpriram quatro mandados de prisão, 7 de afastamentos de função e 13 mandados de busca e apreensão nas cidades de João Pessoa-PB, Brasília-DF, Uiraúna-PB e São João do Rio do Peixe-PB.

 

PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Cícero Lucena troca PSDB de Cássio por PP de Aguinaldo Ribeiro

Uma das novidades no último dia para filiação partidária, neste sábado (04), foi a filiação do ex-senador Cícero Lucena aos quadros do Progressistas na Paraíba. O caboclinho, como é conhecido,…

Partidos comemoram chegada de vereadores para as eleições em JP

Praticamente na reta final do período de filiações alguns partidos conseguiram a filiação de vereadores para suas respectivas bancadas na Câmara Municipal de João Pessoa. O destaque fica por conta…