A Paraíba o tempo todo  |

Debate termina em clima de acirramento, mas com propostas para melhorar JP

PUBLICIDADE

Foram quase três horas de perguntas e respostas. Os quatros candidatos que vão disputar a prefeitura de João Pessoa trocaram farpas no primeiro debate na disputa eleitoral da Capital da Paraíba, mas também tiveram oportunidade de mostrar propostas. Mobilidade Urbana, Educação e Saúde foram os temas que mais deram o que falar nesse primeiro embate televisivo entre os postulantes.

Como está no Governo, o prefeito Luciano Cartaxo (PSD) virou vidraça. Foi atacado pelos três adversários, que cobravam as metas e promessas da campanha de 2013, e que não foram cumpridas após quase quatro anos de gestão.

Logo no primeiro bloco, logo na apresentação dos candidatos, enquanto Cartaxo, Charliton e Vitor Hugo se colocavam à disposição da Capital, em um tom mais ameno, a professora Cida Ramos partiu para o ataque e foi logo acusando a gestão municipal de nem estar bem na saúde, nem na educação. Lamentou as poucas obras e o baixo investimento na habitação, e se propôs a ser a primeira mulher prefeita de João Pessoa para dar continuidade ao que estava abandonado e para fazer mais e melhor.

Nas perguntas, Cida foi a primeira a perguntar e escolheu o prefeito Cartaxo para dizer o porquê de não ter executado os BRTs em João Pessoa, já que já havia recursos em caixa. Cartaxo disse que o projeto existe, mas que devido à crise os recursos não foram liberados. Cida por sua vez acusou o gestor de não ter tido capacidade administrativa para concluir o projeto, deixando os recursos já liberados voltarem para o caixa do governo federal.

Segundo a perguntar, Cartaxo escolheu Vitor Hugo e questionou sobre os projetos da Habitação, mas acabou sendo bombardeado com acusações do adversário, que acusou o gestor de não ter cumprido nem metade das metas que propusera na campanha passada. Cartaxo, todavia, apresentou números e garantiu que a gestão municipal entregou mais de oito mil moradias e ratificou a disposição de, permanecendo no governo, fazer muito mais.

Na hora de Vitor Hugo perguntar ele escolheu o candidato do PT e questionou sobre a política cultural para a cidade, e indagou quais as propostas. Charliton ressaltou a valorização e a descentralização do segmento, mas, na tréplica, acabou sendo encurralado pelo candidato do PSOL, que lembrou que ele fazia parte da gestão Cartaxo e nada fez para colocar em prática as propostas que defende.

Por fim Charliton perguntou a Cida a avaliação da socialista sobre o governo Temer, e lamentou que a professora tenha se conformado com o governo “golpista” que está sendo instalado no país.

O debate seguiu com mais três blocos, com pontos altos e baixos. Obras de mobilidade, pavimentação, saúde, educação, esporte, funcionalismo público, lazer e até segurança pública tomaram conta das perguntas.

Emprego e Renda, pasta que terá como titular a sobrinha do senador José Maranhão, a ex-deputada Olenka Maranhão, foi um tema esquecido.
A reportagem do PB Agora acompanhou todo o debate no passo a passo logo abaixo. Confirma o termômetro desse primeiro cara a cara entre os candidatos e comece a avaliar qual será a melhor opção para a Capital do Estado. A campanha eleitoral termina dia 1º de outubro.
 

 

PB AGORA ACOMPANHOU PASSO A PASSO DO DEBATE – VEJA ALTOS E BAIXO

 

Os quatro candidatos à prefeitura de João Pèssoa estiveram frente a frente para o primeiro debate, realizado pela TV Master, canal fechado, na Paraíba.

São três homens e apenas uma mulher na disputa, são eles: Luciano Cartaxo (PSD), Cida Ramos (PSB), Charliton Machado (PT) e Vitor Hugo (PSOL). Nenhum faltou ao primeiro desafio.

O mediador do debate, que teve quatro blocos, foi o apresentador Alex Filho.

O  debate é tido como um dos carros chefes dessa campanha, que tem um tempo reduzido, tanto no corpo a corpo, quanto no Rádio e na TV.

Sairá melhor quem melhor tiver poder de convencimento.

 

PASSO A PASSO 

 

Candidatos se apresentam e mostram que debate será acirrado; Cida ataca gestão

 

Candidatos iniciam se apresentando. Por sorteio, o candidato do PSOL foi o primeiro a falar. Cada um teve 60 segundos.

 

Ele destacou que é Auditor Fiscal do Estado, foi presidente do Sindifisco e ressaltou a luta em prol do serviço público. Ele defende a retirada do comando da cidade dos grandes grupos políticos.

“João Pessoa tem que se livrar desses grupos que estão aí há bastante tempo”

O segundo a se apresentar foi a professora Cida Ramos. Ela ressaltou a coligação de que é candidata. Destacou que educação e saúde não andam bem em João Pessoa. Lamentou as poucas obras da cidade. Disse que quer trabalhar pela Capital para todos, para melhorar a vida das pessoas.

“Tenho Certeza que serei a primeira mulher prefeita dessa cidade”

O terceiro foi Luciano Cartaxo. Ele destacou os investimentos na cidade e que quer continuar na prefeitura para avançar com os projetos.

“Quero continuar trabalhando por João Pessoa porque a cidade pode e deve ser melhor. Conseguimos fazer apostas na educação, construímos o Parque da Lagoa, além de investimentos na habitação. É para isso que quero continuar como prefeito. Para investir ainda mais.

O último foi o petista Charliton Machado. Ele disse que primeiro Fora Temer. Saudou a militância, se apresentou ressaltando que tem experiência na Educação e que contribuiu para o desenvolvimento das universidades.

“Me coloco á disposição para debater a cidade inovadora, inclusiva e participativa”, arrematou.

 

 

 PASSO A PASSO  – 1º BLOCO

Primeiro bloco do debate é marcado por troca de farpas entre os quatro candidatos

 

1ª pergunta

A primeira pergunta foi feita pela candidata do PSB Cida Ramos ao prefeito Luciano Cartaxo (PSD)

CIDA RAMOS: Por que os BRTs não foram feitos e vários outras promessas feitas em 2012 em relação à Mobilidade Urbana não foram cumpridas?

CARTAXO: A mobilidade urbana foi prioridade da gestão. Construímos a Avenida Panorâmica, ampliamos a Avenida Epitácio Pessoa. Fizemos nove binários, o viaduto da Avenida Geraldo Mariz. Foram vários investimentos. O BRT está no programa de governo. O problema central foi à crise. O governo não liberou os recursos. Tendo a liberação vamos fazer o BRT.

RÉPLICA CIDA RAMOS: O senhor não respondeu. É preciso restabelecer a verdade. O senhor não realizou porque faltou capacidade administrativa. O BRT tinha mais de R$ 200 mi garantidos. Em 2013 o senhor elaborou um edital que foi questionado pelo TCE. O senhor passou dois anos e os recursos voltaram. Enquanto isso o Governo do Estado realizou o Trevo das Mangabeiras e o viaduto do Geisel.

TRÉPLICA LUCIANO CARTAXO: candidata, o trevo de mangabeira não tem nada a ver. O viaduto do Geisel não tem nada a ver. A candidata está confundindo alhos com bugalhos. Repito. Estamos aguardando a liberação dos recursos federais para a fazer o BRT.

 

 2ª pergunta

 

CARTAXO perguntou ao candidato Vitor Hugo sobre qual o projeto do PSOL para Habitação Urbana.

VITOR HUGO respondeu e lembrou do déficit de 10 mil casas da gestão Cartaxo que não alcançou nem a metade das metas e promessas anunciadas em 2012.

RÉPLICA CARTAXO: na réplica Cartaxo lembrou que entregou mais de oito mil moradias, ressaltou os projetos de esporte e lazer e destacou que a meta do PSD é fazer ainda mais pela cidade.

TRÉPLICA HUGO: Na tréplica, no entanto, Vitor Hugo lembrou que muitas das habitações estão abandonadas, já que a prefeitura, segundo ele, não realiza sequer a manutenção do que já foi construído.
 

3ª pergunta

 

VITOR HUGO: Qual o projeto do seu partido para a cultura em João Pessoa

CHARLITON MACHADO: A cultura é um grande desafio e é fundamental inverter esse modelo de pensar a Cultura nesta cidade, que não tem transparência. Precisamos avançar na política que avança nos movimentos culturais. As praças estão abandonadas. Não há assessoramento a esses movimentos para que eles se tornem moderados. Defendemos a valorização e a descentralização da cultural. A atual gestão é omissa. Nós queremos retomar um debate com a comunidade, nos bairros e vamos defender a criação da Secretaria de Cultura para separar o que é Turismo e o que é Cultura, em uma agenda propositiva. Não existe política cultura sem a defesa da participação popular. Hoje o modelo é impositivo. As pessoas são chamadas para aplaudir e pagar a conta da festa.

RÉPLICA VITOR HUGO: Infelizmente vocês tiveram a oportunidade até o ano passado de estar na prefeitura e não fizeram nada. Em 2014 PSB também estavam juntos e não fizeram nada. Até o ano passado estavam juntos e misturados. Como criticar, quando estava junto e não fez nada.


TRÉPLICA DE CHARLITON:
Não sou de esquecer, mas ao longo do processo o projeto foi abandonado. Não houve por parte do prefeito vontade de fazer, não só na cultura, mas nos demais campos.

4ª pergunta


CHARLITON MACHADO
. Lembrou que quem ocupa a presidência é um golpista apoiado pela maioria dos deputados da Paraíba. Como a senhora analisa o momento do golpe perpetrado por Temer?


CIDA RAMOS:
Minhas posições são firmes e claras. Fui defensora do estado democrático e de direito. O momento político que o Brasil vive é grave. É preciso retomar um ciclo de desenvolvimento. Os que aí estão não provaram a que vieram. A redução de direitos que querem implantar é lamentável. É preciso que o atual governo proporcione políticas do que prometeu a fim de acabar com a estagnação econômica. Devemos lutar pelos direitos e pela democracia para que nenhuma conquista social possa retroceder.


RÉPLICA CHARLITON MACHADO:
a senhora mudou muito sua união sobre o golpe. Aceitar o governo Temer e se conformar com o golpe. Nesse momento é bom ter lado. Acho que seu problema é seu vice, que votou a favor do golpe e faz parte de uma composição que quer tirar direitos. Lamentavelmente a senhora mudou de posição


TRÉPLICA CIDA:
A luta pela defesa da democracia sempre contou com minha participação. A boa política é permanecer na luta.

 

PASSO A PASSO – 2º BLOCO

Candidatos respondem a internautas; esporte e mobilidade dominam 2º bloco

 

Nesse bloco cada candidato responderá uma pergunta entre quatro pré-selecionadas enviadas por internautas. A sequência também foi realizada por sorteio

 

1ª pergunta: Quais os projetos para incentivar o Esporte

Cartaxo responde e Cida Ramos comenta.

Cartaxo: O esporte é prioridade da gestão. No novo parque da Lagoa temos a pista de skate com padrão internacional. Inauguramos um estádio em Mangabeira que estimula o esporte amador. Inauguramos um centro esportivo no Valentina. Estabelecemos parcerias com as fudançoes. Temos o projeto vida saudável, estimulando prática de esportes. É importante manter os investimentos na área. O esporte associado à saúde e à educação demonstra nosso compromisso com as diversas modalidades. Esporte é vida, é saúde. Estamos estimulando e vamos continuar investindo cada vez mais.

Cida Ramos: O esporte é fundamental como espaço de integração a fim de dar perspectivas e possibilidade a nossa juventude. Temos o campo da Graça abandonado. O Wilson abandonado. Bairros que clamam por campos. Licitação para compra de equipamentos esportivos ocorreu em 2013. De lá para cá nada.

 

Réplica Cartaxo: A aposta da candidata é a crítica. Ela não consegue dizer o que vai fazer. Nós fizemos mais de cinco campos de futebol, investimos no estádio da Graça e o Wilson foi construído na nossa gestão.
 

 2ª pergunta: Qual o maior desafio de mobilidade urbana e como solucioná-lo



Charliton pergunta e Cartaxo comenta

Charliton: João pessoa vive um dos mais graves problemas na mobilidade. A cidade parou. Não há projeto de longo prazo. A cidade cresceu e nada foi feito. Os candidatos que defende o projeto de mobilidade tiveram oportunidade de mudar e fazer projetos, pensando no pedestre, no ciclista e por último nos veículos. A cidade prometeu e não fez nada. Não padronizou as calçadas. Se acomodou com esse modelo de transporte com denúncias de corrupção e que é a verdadeira caixa preta. Queremos um plano que prime pelas pessoas. Queremos instalar o BRT porque o dinheiro foi perdido pela incompetência do atual gestor.

 

Cartaxo: Nós fizemos 20 km de calçadas padronizadas, ampliamos as ciclovias, fizemos investimento no transporte coletivo, com faixas exclusivas, e o BRT não saiu ainda mas vai sair. Quando o governo federal liberar os recursos, nós vamos fazer. Não adianta esconder a crise. Governo federal não vem liberando recursos. Mas vamos fazer o BRT assim que houver recursos.


Réplica Charliton:
O prefeito só consegue governar se for com o governo Dilma. Nega os recursos que provieram de lá. Esse governo fez pouco. Nós queremos mais.

 

 

3ª pergunta: Qual a idéia ou proposta mais inovadora para a educação de crianças e jovens

 

Vitor Hugo pergunta e Charliton comenta


Vitor Hugo
: Não há inovação, pois a discussão do país é a escola de tempo integral, mas João Pessoa não implantou ou aderiu a essa lógica. A escola de tempo integral, infelizmente, é a solução do Brasil, mas João Pessoa não deu andamento a esse projeto. Atualmente são apenas 14 escolas de tempo integra, quando temos mais de 90. Ela tem que ser feita de forma planejada para que em um prazo curto possamos avançar. A inovação é a vontade política de fazer, inclusive integrando outras secretarias, como a de Cultura. Temos caminhos já pensados, mas infelizmente não executados.

Charliton Machado: Nós temos em torno de 8% de analfabetos na Capital. Nosso programa tem como meta a cidade educadora. Vamos investir no programa a cidade livre do analfabetismo. O governo tem que investir. Basta vontade. O atual gestor nem o governo golpista tem essa vontade.


Réplica  Vitor Hugo:
Temos também que pensar a valorização do profissional. Olhar os professores de forma respeitosa, valorizando quem ensina, fato que nem a prefeitura nem o Estado fazem.

 

4ª pergunta: Qual o papel da prefeitura na segurança pública?


Cida Ramos: a principal questão social do Brasil. Obriga todos os entes a se debruçarem. Como prefeita, já que existe uma secretaria, que foi criada para ocupar um espaço de um aliado, vamos criar para que haja monitoramente nos bairros, colocaremos as câmeras que foram prometidas, uma realidade. Vamos acompanhar os bairros com maior vulnerabilidade. Vamos instalar ações serviços e programas. Vamos acompanhar de perto. Vamos qualificar a guarda trabalhando em parceria com o Estado e com a Polícia Militar. Sou candidata e serei prefeita para ter atitude. Essa segurança passa pela questão da iluminação, da poda das árvores


Vitor Hugo:
Eu acho que estão rezando para que a candidata não ganhe, pois se fomos esperar pelo governo do estado estaremos sem opção. A prefeitura tem sua parte e o candidato Cartaxo não faz. Desde janeiro a iluminação pública é de responsabilidade da prefeitura e tudo está deixando a desejar.


Réplica Cida Ramos:
Ele reforça todas as propostas que eu enumero. A vida das pessoas é problema de todos os gestores. Ele entrou em contradição. Reforçou as propostas que coloquei. Eu quero tranqüilizar a população de João Pessoa.

 

PASSO A PASSO – 3º BLOCO

No terceiro bloco candidatos debatem promessas e realidades das gestões em JP

 

Nesse bloco cada candidato realiza pergunta entre si em duas rodadas.

Primeira pergunta: Charliton pergunta a Cartaxo

Charliton Machado: João Pessoa não foi pensada para o futuro. Candidato eu quero apenas saber quantas ruas foram calçadas na Capital em sua gestão?


Cartaxo:
Temos trabalhado muito mesmo diante da crise, com muito planejamento, pagando o salário no mês trabalhado, antecipamos o 13º, entregamos obras, o parque da Lagoa, estamos fazendo intervenções nas áreas da habitação e educação. Na nossa gestão já há quase 70 km de habitação, levando a questão da mobilidade aos quatro cantos da cidade, com melhoria a de qualidade de vida. Agora estamos aguardando a liberação do PAC Pavimentação para que possamos calçar ainda mais. Pavimentação é prioridade e vamos continuar trabalhando.


Charliton:
o candidato não respondeu. Eu perguntei quantas ruas foram calçadas. Ele enrolou e não respondeu. Ele se propôs calçar 600 ruas, mas só calçou 38 ruas. Acho que o prefeito tem andado pouco no Grotão, em Cruz das Armas. O prefeito não vive um projeto para a cidade. Mas nós vamos fazer o que você não fez. O senhor desprezou.

Cartaxo: Estou falando de quase 70 km. É uma pavimentação vasta. Eu conheço os 64 bairros, as mais de 100 comunidades e estão à disposição da sua visita

 

Segunda pergunta: Cartaxo pergunta a Charliton

Cartaxo: João Pessoa tem experimentado uma situação diferenciada. Estamos investindo no espaço público do lazer. Temos vários exemplos concretos que conseguimos revitalizar. O Parque da Lagoa é um deles. Qual é a sua proposta em relação aos espaços públicos?

Charliton: primeiro o prefeito tem que recuperar os espaços que estão fechados. Ginásios fechados, bairros se transformaram em cidades. João Pessoa é dividida entre a cidade que mora na praia e a cidade das periferias. O senhor não cuidou da cidade. Escolheu duas ou três obras e segregou a cidade.


Cartaxo:
O novo parque da Lagoa é o grande espaço de lazer. A calçadinha da orla é grande espaço de lazer. No bairro das indústrias temos uma grande espaço também. Estamos investindo em todos os cantos da Paraíba, abrindo espaços públicos para convidar a populaca a sair de casa com espaços de convivência.
Charliton: o prefeito se conformou com poucos recursos para algumas obras. A cidade está parada. Equipamentos públicos estão abandonados. Fala de uma obra que beira a corrupção

 

 

3ª pergunta: Vitor pergunta a Cida

Vitor Hugo: Qual sua política para o setor publico. O que os servidores podem esperar de Cida?


Cida:
Eu sou servidora. Sou professora de carreira e o tempo que passei tive a felicidade de contar com a colaboração, e o respeito dos servidores. Todos reconhecem no nosso trabalho e na forma de lidar com o servidor, a capacitação profissional e a responsabilidade de quem dá condições de trabalho. Na secretaria dei estrutura dos direitos trabalhista. Mas gostaria de abordar a questão do Estado que foi valorizado e já foi aprovado por essa cidade. Eu tenho orgulho de ter pertencido a uma administração que valorizou o servidor. Na minha administração vou valorizar o servidor. Terá dialogo e respeito. Os servidores merecem respeito, merecem política que valorize e dê condições de trabalho.


Vitor Hugo:
Esperamos realmente que se por ventura eleita os servidores municiapis não sofram o que os estaduais estão sofrendo. A senhora não se impôs contra o congelamento do salário. Vemos o inchaço com comissionados e pior, com os codificados. Ou seja, o serviço publico do PSB so coloca apadrinhados. Infelizmente essa é a realidade, esperamos que não traga


Cida –
tenho orgulho de ter pertencido a uma adminsitracao que valorizou o servidor. Vou qualificá-los. Dar oportunidade.

 

4ª pergunta: Cida Ramos pergunta a Vitor Hugo

Cida: A atual gestão se comprometeu com a implementação de uma gestão eficiente, mas passado quatro anos, a marca é a morosidade, o atraso, o não pagamento de forma correta aos fornecedores. O que justifica tanta inoperância dessa gestão


Vitor Hugo:
Infelizmente essa é a realidade de João Pessoa, da prefeitura, a inoperância é gritante. A cidade não está sendo cuidada. O básico é não deixar que as vias fiquem intrasitávies. Mas as metas de Cartaxo nos deixam estarrecidos. Deixaram a desejar. Infelizmente o prefeito prioriza umas obras em detrimento de outras, o que traz prejuízo para a população, que no final é quem paga a conta. Na opinião do PSOL a prefeitura de João Pessoa abandonou a cidade. A Lagoa é um Parque importante, mas ficou aquém

Cida: Essa é uma gestão que promete muito e cumpre pouco. É ruim de trabalho e de execução. Qualquer obra é preciso de começo meio e fim. É uma gestão que não acompanha os projetos. È uma gestão que precisa ser mudada para João Pessoa avançar. Mas nós vamos chegar para mudar essa realidade. Vamos terminar as obras inacabadas, e vamos realizar mais e melhor.

 

Vitor: Temos orçamento na PMJP de R$ 2,5 mi e temos que saber para onde esses recursos estão sendo destinados. Na comunicação há investimento de obras que só estão no papel.

 2ª rodada de perguntas no 3º bloco esquenta debate entre candidatos.



1ª pergunta: Charliton pergunta a Cida


Charliton
: Quero enfatizar a ausência de planejamento na cidade. São pequenas intervenções que não pensam a cidade para o futuro. Queria sua opinião a respeito do Plano Diretor de Transporte para a cidade de João Pessoa e os desafios?

Cida: È preciso um olhar diferenciado. O transporte público não cumpre rotas. Há comunidades sem serem contempladas. Paratibe sofre, mas nenhuma providência é tomada. É preciso que um prefeito faça a concessão publica, mas garanta que o serviço de transporte seja realizado com qualidade, transparência, e, sobretudo pensando na poplacao. Vamos acompanhar o projeto pensando na população, garantindo cidadania. Vamos fazer com que o transporte público seja acompanhado e volte a fazer parte da gestão. Como prefeita vou garantir o direito de ir e vir da população.

Charliton: Me referi ao Plano Diretor. Durante mais de três décadas é o mesmo Plano. Parece que as pessoas começaram a descobrir hoje que esse modelo não serve. Precisamos de um plano de mobilidade e revisar o plano diretor.

Cida: Farei as modificações necessárias com os diversos setores. É preciso preparar a cidade. Algo que não foi feito nem quando vc participar da gestão, nem pela continuidade

 

2ª pergunta: Cida pergunta a Cartaxo


Cida: o senhor prometeu implantar e garantir serviços de hemodiálise. Mas uma inspeção com a presença de seu vice encontrou 40 caixas de equipamentos abandonados. O que o senhor tem dizer a população que necessita da hemodiálise para sobreviver

Cartaxo: Esse equipamento não foi comprado na nossa gestão. Todos estão com atendimento assegurado,. O que houve foi falta de planejamento na compra desse equipamento. Mas estamos fazendo planejamento para utilizá-las e vamos colocá-las para funcionar. A gestão tem investido em saúde. O exemplo concreto são as Upas que estamos entregando. O nosso investimento na saúde é 23%, quando nossa responsabilidade seria com 15%

Cida: Eu fico me perguntando, o que faz um gestor, sabendo que no município tem 1800 pessoa que dependem do tratamento, deixar 40 máquinas encaixotadas. Da mesma forma que não conseguiu criar o centro de transplante de rim, não deu solução para 40 máquinas


Cartaxo:
Quero reforçar que nenhum paciente que necessite de tratamento renal está deixando de ser atendido. O que aconteceu foi que compraram as máquinas sem planejamento.

 

3ª pergunta: Cartaxo pergunta a Vitor Hugo

Cartaxo: A educação é algo fundamental. Temos priorizado a educação, principalmente a infantil. Aumentamos as vagas em creches. Ampliamos berçários. Quero saber a propsota para a área de educação

Vitor Hugo: Sem duvida, sabendo que esses são recursos federais que vieram para implementação. O difícil não é construir prédio, difícil é saber como tratá-las. Não vimos concurso publico para essas vagas, vimos contratações temporárias. Ou seja qual o projeto efetivo para essa crianças. O pior é o pífio pensar em educação e não pensar na escola integral, que não é implementado. Eu acho que sua gestão tem que fazer muita coisa. Eu acho que o senhor tem que ter uns cinco mandatos pra cumprir suas metas. Questão salarial, condições de trabalho infelizmente nada foi cumprido

Cartaxo : João Pessoa tem 97 escolas, tem mais 13 em construção, chamamos mais de 1 mil concursados da Educação. Educação tem sido marca fundamental . Estabelecemos o passe livre


Vitor Hugo:
Sem dúvida, se essas metas fosse alcançadas João Pessoa seria outra. No início do ano professores entravam em greve para fazer com que uma lei fosse cumprida. Não há condições de trabalho nem seguranças dentro das escolas

4ª pergunta: Vitor pergunta a Charltion

Vitor: Meio Ambiente. Eu acho que João Pessoa não tratou a questão de forma adequada. Perdemos rios por conta de políticas efetivas contra a poluição. Qual seu projeto para o meio ambiente

Charliton: Nós temos uma cidade que não pensou a sustentabilidade, não pensou meio ambiente, perdemos a oportunidade que pensasse o meio ambiente. As gestões todas elas pemitiram construções desordenadas. Porto do capim abandonado, rios abandonados. Há necessidade de programas emergências.

Defenderemos o IPTU verde, que incentive usos de energia solar e uso da natureza. A cidade de João pessoa viveu uma pendenga do estado e PMJP por vaidade porque não sabiam de quem era a responsabilidade da barreira


Vitor:
O que acontece é que temos poluição clara, que vem das indsutrisas, que não há intervenção do estado e da PMJP. Pode acontecer que não tenhamos água se não fizermos intervenção clara. É um absurdo os esgotos clandestinos.


Charliton:
A cidade a partir desses gestores fechou os olhos para os donos do poder. A questão do shopping Manaíra é um exemplo

 

4º BLOCO – CONSIDERAÇÕES FINAIS

VITOR HUGO (PSOL)

“Parabenizar o sistema pela forma democrática, independente de inibição da participação, diferenciando cada candidato. Mostramos a população que todos os candidatos estiveram juntos em alguns momentos e em muitos pontos não avançamos e não é com essas coligações que ninguém sabe até quando durarão, é que João Pessoa vai mudar. Nós do PSOL temos representantes no Congresso e nenhum está envolvido em corrupção. A população não agüenta incoerência. Convido todos para possamos realmente fazer a mudança”.

CIDA RAMOS (PSB)

“Chegou o momento do reencontro da cidade consigo mesmo. Tenho certeza que parti da cidade que temos para avançar para a cidade que queremos. Percorremos bairros, discutimos com segmentos, e a única coisa que a população pede são ações serviços e programas. O trabalho de verdade é associado a nós. Quero fazer parcerias com a sociedade, com os segmentos, mas, sobretudo com o Governo do Estado. Ele ajudará a fazer com que essa cidade avance cada vez mais. Serei a primeira prefeita mulher, valorizando segmentos esquecidos, fazendo com que a juventude possa se protagonista desse processo. Trabalharei com transparência. Serei prefeita dessa cidade. João Pessoa espera por nós”.

LUCIANO CARTAXO (PSD)

Agradeço a todos da TV Master pela oportunidade, pelo bom debate, quero agradecer a oportunidade de debater com os candidatos e agradecer aos telespecatadores. Agradeço ao povo pela honra de ser prefeito e de poder trabalhar pela cidade. Fui vereador. Conheci a cidade e o povo de perto. Esse momento é especial porque temos clareza que finalizamos esse primeiro mandato no momento de crise, fui testado na crise. Conseguimos avançar com trabalho e planejamento. Enfrentamos a crise. Por isso agradeço a todos. Estou animado, preparado, maduro para mais quatro anos de mandato se essa for a vontade do povo. Acredito que posso ajudar na melhoria da qualidade de vida, com João Pessoa cada vez mais avançando.

CHARLITON MACHADO (PT)

“Agradecer a TV Master, aos candidatos, e dizer que o que estou fazendo aqui hoje é uma missão que me orgulha muito. Uma historia que fez política a vida inteira por paixão, e ano por profissão. É este o partido que vou defender, que tirou milhões da miséria. Vamos defender uma cidade mais humana e inclusiva. Priorizaremos a educação, pensando no futuro e nos desafios do século XXI. A população tem que saber que sou um candidato que não vai lhe trair. Me orgulha fazer a frente agora representando o PT. João Pessoa será modificada. Vamos mudar e vamos fazer diferença. Temos história e coerência política e nunca mudamos de lado. Nosso lado é o da democracia.

 

 

 

PB Agora

 

PUBLICIDADE
    VEJA TAMBÉM

    Comunicar Erros!

    Preencha o formulário para comunicar à Redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta matéria do PBAgora.

      Utilizamos ferramentas e serviços de terceiros que utilizam cookies. Essas ferramentas nos ajudam a oferecer uma melhor experiência de navegação no site. Ao clicar no botão “PROSSEGUIR”, ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.
      Total
      0
      Compartilhe