Por pbagora.com.br

A primeira eleição parlamentar sem o financiamento de empresas mostrou que a busca pelas cadeiras da Assembleia Legislativa foi mais magra na Paraíba, quando comparado com a disputa de 2014, segundo mostra dados do Divulga Cand. O voto este ano custou em média R$ 7,23. No total, as despesas estaduais dos parlamentares eleitos somaram R$ 7,9 milhões, contra R$ 10,1 milhões do último pleito, queda de mais de 21%.

 

Os números de 2018 demonstram que as cifras não foram necessariamente revertidas em volume de votos. O deputado reeleito Caio Roberto (PR), por exemplo, foi o que teve o maior gasto na disputa deste ano: R$ 939 mil, contra R$ 295 mil da última eleição, um salto de 218%. Ele teve 28.344 votos, média de aproximadamente R$ 33 por voto recebido.

 

Wallber Virgolino (PATRI), por outro lado, foi o segundo candidato com menor despesa neste pleito: pouco mais de R$ 23 mil, com uma receita de R$ 42 mil. O deputado eleito também foi o segundo mais bem votado, com 48.053 votos, custo médio de R$ 0,48 por voto. Na avaliação do futuro parlamentar, unidade nas pautas defendidas durante a campanha e investimento nas redes sociais foram essenciais para o resultado alcançado.

 

Redação

 


Certificado digital mais barato para advogados e contadores. Clique e saiba como adquirir

 

Notícias relacionadas

Câmara aprova substitutivo de Efraim Filho para salvar micro e pequenas empresas

O Congresso Nacional aprovou o substitutivo do deputado Efraim Filho (DEM/PB) ao PLN 2/21, do Poder Executivo, que permitirá mudanças na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) em vigor. “A expectativa…

Adriano, Murilo, Nabor e Hugo discutem recursos para Paraíba e projeções políticas para 2022

O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, Adriano Galdino, o prefeito de Patos Nabor Wanderley, o deputado federal Hugo Motta e o secretário de Articulação Política do Estado, Murilo Galdino,…