Um áudio vazado de uma reunião entre membros do PSL de Aracaju (SE) com a presença do vice-presidente nacional e presidente da sigla na PB o deputado federal Julian Lemos (PSL-PB) repercutiu após várias declarações polêmicas do ex-coordenador de campanha de Jair Bolsonaro no Nordeste virem à tona. A gravação aconteceu antes de Bolsonaro anunciar a saída do partido.

A pauta da reunião era o apoio de Lemos, a mudança de gestão do partido em Sergipe que passaria a ser comandado pelo deputado estadual Rodrigo Valadares (PTB) que apoiou Fernando Haddad (PT) nas últimas eleições.

Durante a reunião, Julian chegou a ironizar a facada sofrida por Bolsonaro na campanha e declarou que o PSL virou uma máquina milionária e que a “onda” que elegeu o presidente não se repetirá. O deputado federal chegou a questionar a autoridade do chefe do executivo ao afirmar que quem manda é o Congresso e que se um representante do PT quisesse não seria rejeitado por Bolsonaro, pois o presidente está fazendo política.

Na gravação Julian Lemos ainda ataca o deputado federal e líder da Maioria na Câmara Aguinaldo Ribeiro (Progressistas-PB) ao dizer que ele é o “gangster do PP”. Noutro ponto, o deputado paraibano ironizou o atentado sofrido pelo então candidato Jair Bolsonaro durante as eleições. “Jair levou uma facada eu levei umas 50”, disse.

OUÇA:

Redação

Total
7
Compartilhamentos
Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Apesar de ser só 1 vaga em 2022, Galdino se diz preparado para disputar o Senado

Presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba até janeiro de 2023, o deputado estadual Adriano Galdino (PSB), apesar de não querer antecipar o pleito estadual de 2022, não se intimidou e,…

Ciro Gomes abre portas do PDT para João e diz que RC ainda é uma grande força

Após Marina Silva (Rede), mais um ex-presidenciável manifestou interesse de contar com o governador da Paraíba, João Azevêdo (PSB), em seu partido. Agora foi a vez de Ciro Gomes, do…