Por unanimidade, o Tribunal Superior Eleitoral negou, nesta quinta-feira (19/3), um pedido para adiar o prazo final de filiação partidária diante da pandemia do coronavírus. Essa é uma das exigências para que um político possa concorrer às eleições municipais de outubro.

A lei prevê que este limite é de seis meses, portanto, neste ano a data é 4 de abril. Os ministros entenderam que a medida está prevista em lei e que não se justifica porque o registro a um partido pode ser feito de forma eletrônica.A presidente do TSE, Rosa Weber, afirmou que se a Corte estivesse adiando o prazo, estaria atuando antes dos fatos. “Uma coisa é atuação da Corte depois que os fatos ocorreram”, ressaltou a ministra.

Roberto Barroso disse que não cabe ao TSE de forma discricionária mudar esta questão, que está prevista em lei. A informação é do portal O Antagonista.

 

Redação

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

ALPB amplia quarentena por mais uma semana em prevenção ao Covid-19

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) ampliou o período de quarentena em prevenção ao novo coronavírus (covid-19). A Mesa Diretora da Casa editou, nesta segunda-feira (3), um ato e alterou…

Covid-19: deputado vê feiras livres e lotéricas como pontos de contágio

O deputado estadual Anísio Maia (PT) alertou que os municípios não podem se omitir da responsabilidade no disciplinamento das feiras livres e das filas das lotéricas/bancos para evitar a aglomeração…