A corrida sucessória em Campina Grande está a todo vapor, a menos de seis meses para as eleições municipais. Enquanto aguardam os prazos legais permitidos pela Justiça Eleitoral para homologar as candidaturas e o período da campanha, os pré-candidatos montam as estratégias para consolidar as candidaturas.

Pelo menos 13 lideranças políticas da oposição e situação já manifestaram desejo de disputar o Palácio do Bispo, na sucessão do prefeito Romero Rodrigues (PSD) e estão em campo, pavimentando caminho para o pleito.

As candidaturas só poderão ser registradas entre 20 de julho e 5 de agosto, período dado pela Justiça Eleitoral para realização das convenções.

Pelas oposições, que buscam retomar o controle político e administrativo na cidade, oito nomes despontam como possíveis candidatos, a maioria ligados ao governador da Paraíba, João Azevedo (sem partido).

Entraram na corrida sucessória na Rainha da Borborema, o deputado estadual Inácio Falcão (PCdoB), o secretário de Desenvolvimento Econômico; Gustavo Feliciano (PDT), a secretária de Articulação Municipal e suplente de deputada federal Ana Cláudia Vital (Podemos), o secretário de Saúde do Estado, Geraldo Medeiros (PSB); o senador Veneziano Vital (PSB), que já governou a cidade por duas vezes e foi o deputado federal mais votado no município no pleito de 2018.

Sonham ainda em encabeçar a chapa majoritária, o vereador Olímpio Oliveira (MDB), o ex-deputado Walter Brito Neto (MDB) e o empresário Artur Bolinha (PSL). Esses três surgem como candidatos independentes, críticos da polarização histórica entre a família Cunha Lima e Vital.

No lado da situação, a disputa interna também é intensa. A expectativa é que o prefeito Romero Rodrigues anuncie antes do carnaval, o nome que deve apoiar na sua sucessão.

Romero tem como pré-candidatos o secretário de Ciência e Tecnologia, o vereador licenciado, Lucas Ribeiro (Progressistas); o secretário de Planejamento, deputado licenciado, Tovar Correia Lima (PSDB); o ex-senador Cássio Cunha Lima (PSDB); o chefe de Gabinete e ex-deputado Bruno Cunha Lima (sem partido) e o empresário Dalton Gadelha (PSC).

A eleição, de fato, com propagandas, eventos e o pedido explicito de voto se inicia no dia 16 de agosto, até lá vivemos o período de pré-campanha.

SL
PB Agora

Deixe seu Comentário
Notícias relacionadas

Presidente do Podemos assume liderança da bancada de oposição na CMCG

A bancada de oposição na Câmara Municipal de Campina Grande tem um novo líder. O presidente do Podemos, vereador Galego do Leite que volta a comandar a bancada oposicionista na…